Ciências Biológicas da URI desenvolve formação em agroecologia para estudantes do Ensino Médio

O Curso de Ciências Biológicas desenvolveu na quarta-feira, 13, atividades sobre Agroecologia e Saúde Ambiental com os estudantes do Instituto de Educação Estadual de Marcelino Ramos (IEEMAR). O trabalho foi realizado no Parque Natural Municipal Mata do Rio Uruguai Teixeira Soares, uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, situada naquele município.

O Instituto de Educação está participando do projeto-piloto de implementação do Novo Ensino Médio na região, que define uma nova organização curricular, mais flexível, que contemple uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a oferta de diferentes possibilidades de escolhas aos estudantes por meio de itinerários formativos, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

Os itinerários formativos são constituídos por um conjunto de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo, entre outras situações de trabalho, que os estudantes podem escolher ao longo do Ensino Médio. Nos itinerários, os jovens podem aprofundar conhecimentos em uma ou mais áreas do conhecimento, ou seja, Matemáticas e suas Tecnologias; Linguagens e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas; e Formação Técnica e Profissional.

As atividades foram coordenadas pela equipe do Laboratório de Educação Ambiental da URI, por meio do projeto “Ações para a manutenção e o fortalecimento do Núcleo de Agroecologia do Alto Uruguai”, Chamada Cnpq Nº 21/2016 – Linha 2: Manutenção de Núcleo de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica (NEA). A cão contou  com o apoio de equipe do Programa Residência Pedagógica do Curso de Ciências Biológicas e dos Laboratórios de Biomonitoramento, de Genética e de Ecologia e Sistemática Vegetal.

O trabalho foi realizado por meio de sete oficinas pedagógicas: Plantas comestíveis não convencionais (PANC); Compostagem Doméstica: uma alternativa para a destinação de resíduos orgânicos; Minhocultura; Biofertilizantes e Microrganismos Eficientes; Conservação de abelhas nativas; Bioinseticidas; e Alelopatia – plantas companheiras. Também foram realizadas uma palestra e atividades lúdicas e de integração.

Segundo Andrieli Sadovski Majewski, estudante de Ciências Biológicas e Bolsista de Iniciação Científica (Cnpq), “os sistemas agroecológicos de produção são uma importante estratégia de conservação dos recursos naturais e da biodiversidade”. Para Hueliton Magnante, bolsista do Projeto, “o manejo ecológico dos agroecossistemas têm como princípios norteadores as bases da sustentabilidade, que consistem nos aspectos ecológicos, econômicos e sociopolíticos. Suas estratégias estão associadas à conservação das comunidades biológicas e da diversidade genética, da manutenção da paisagem, valorizando as espécies nativas e reduzindo as pressões sobre os ecossistemas naturais”.

Comentários estão fechados.