União de esforços aprova lei de reajuste dos servidores

A Câmara Municipal de Vereadores de Erechim lamenta que o atraso na sessão de segunda-feira (18) tenha atrapalhado o planejamento de órgãos de imprensa e representantes da comunidade. No entanto, ao contrário de tratar-se de um desrespeito, o atraso se deu devido a cuidados necessários para que o assunto em pauta fosse avaliado com os dados precisos necessários a uma tomada de decisão. O Legislativo não serve a um ou outro órgão específico, mas, sim, à comunidade como um todo, e, como fiscal do Executivo, não se pode negligenciar, dialogando com todos os vereadores e votando uma lei que tem impacto orçamentário.

O reajuste dos vencimentos e salários, bem como o auxílio-alimentação dos servidores municipais, é um projeto que versa sobre grande monta, portanto deve ter todas as dúvidas sanadas antes de entrar para votação. De origem do Executivo, a referida proposta que chegou à Casa Legislativa no final da manhã de segunda-feira, em caráter de urgência, teve que passar por todos os trâmites legais antes da sessão, em uma união de esforços de todas as comissões e servidores da Câmara de Vereadores.

O Sindicato dos Municipários de Erechim (SIME), que esteve à frente das negociações com o Executivo, intercedendo pelos funcionários públicos, em um apelo aos vereadores solicitou que houvesse a aprovação ainda no dia 18 de março, para que os servidores fossem contemplados já no próximo pagamento.

Segundo o presidente Alderi Oldra, “se for necessário atrasar a votação para ajustar ou melhorar um projeto, a mesa diretora o fará, sempre pautada no respeito à comunidade. Quando abraçamos este ofício, abraçamos uma responsabilidade maior que nossos horários. Da mesma forma que o repórter abraça a profissão sabendo que muitas vezes não tem hora para chegar em casa ou para fechar sua edição. Fazer nosso serviço com diligência nos torna melhores e garante que a comunidade terá a resposta adequada ao voto de confiança que nos deu na eleição. Assim, agradecemos a paciência de quem aguardou pela votação”.

Comentários estão fechados.