Município realiza semana de conscientização contra Tuberculose

Vinte e quatro de março é o Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose e, para intensificar as ações de conscientização a respeito da doença, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Unidades Básicas de Saúde e do Programa de Estratégia de Saúde da Família, estão realizando ações também com acompanhamento dos Agentes Comunitários de Saúde, durante as visitas domiciliares.

As ações em Erechim acontecem durante esta semana, de 19 a 23 de março, como forma de chamar a atenção para a causa.  A enfermeira do setor de Tuberculose, Sandra de Moraes, explica que na última semana foram realizadas reuniões de sensibilização sobre o tema com os Agentes de Saúde, para que, nesta semana, eles possam visitar os domicílios repassando orientações e informações sobre a doença. Essas equipes já desenvolvem ações continuadas de busca à sintomáticos respiratórios na comunidade com a finalidade de diagnosticar e tratar precoce e adequadamente casos de Tuberculose.

Em Erechim, conforme os dados dos últimos cinco anos, entre 2013 a 2017, foram registrados 106 casos, com seis óbitos neste período.

A Tuberculose, é uma doença com 10 milhões de novos casos ao ano, levando mais de um milhão de pessoas ao óbito, e é uma das dez maiores causas de morte no mundo. Por isso, que em 2016, a Organização Mundial da Saúde (OMS) iniciou a campanha global “Unidos para Acabar com a Tuberculose”. A preocupação com os números elevados fez com que a OMS redefinisse a classificação de países prioritários para o período de 2016 a 2020. O Brasil está entre os 20 países que apresentam mais casos da doença, e a 19ª posição quanto à co-infecção TB/HIV. A atual campanha da OMS tem como foco combater o estigma, a discriminação, a marginalização e as barreiras de acesso aos tratamentos contra a doença.

A enfermeira, explica que a Tuberculose é uma doença infectocontagiosa que afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer ossos, rins, meninges e demais órgãos. Pessoas com Aids, câncer, diabetes, doenças reumáticas, insuficiência renal crônica, desnutridas, idosos doentes, dependentes químicos e fumantes são mais propensos a contrair a doença. “A forma pulmonar é a mais comum, que acomete 85% dos casos e os sintomas são: tosse com expectoração por três ou mais semanas, acompanhado de febre, perda de apetite e sudorese noturna importante. Pessoas que tiverem sintomas compatíveis com a doença devem procurar o mais cedo possível uma UBSs do município,” alerta.

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica, setor de acompanhamento aos casos de Tuberculose, está localizado na Av. Santo Dal Bosco 160, sala 202, junto à Vigilância em Saúde, contato também pelo fone 54 3522 3955.

Comentários estão fechados.