Emater/RS-Ascar favorece realização de sonhos através do Feaper

A Agroindústria Mariga, localizada na Linha Mariga, em Erechim, foi uma das beneficiadas na região do Alto Uruguai, pelo Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper). Por meio de um contrato de financiamento, a agroindústria investiu R$ 10 mil na aquisição de uma câmara fria onde são armazenadas parte da produção de queijos.  “Essa câmara ajudou muito. Antes não tínhamos como estocar a produção”, conta a produtora Teresinha Mariga. Ela observa ainda que a câmara fria permite deixar mais tempo o queijo no processo de maturação.  Com o queijo maturado a família agrega mais renda ao produto, garante Teresinha.  A agroindústria familiar atende Erechim, mas tem muita gente de outras localidades que procuram os queijos produzidos na agroindústria que já tem 28 anos de tradição.  De acordo com Teresinha, a agroindústria produz 1.500 quilos de queijo por mês, com matéria-prima produzida na propriedade. O casal Alcides e Teresinha Mariga, tem dois filhos.

“O orçamento é autorizado, mas nem sempre ele é totalmente utilizado, isso porque todos os anos alguns beneficiados desistem ou não encaminham toda a documentação ou perdem o prazo. Por isso, os valores acabam sendo reautorizados”, explica a técnica agrícola da Emater/RS-Ascar, Hellen di Franco Lemos. Para o Estado todo, o Feaper liberou R$ 2 milhões em novos recursos, somados a R$ 6,6 milhões reautorizados.

O presidente da Emater/RS, Clair Kuhn, afirma que o Feaper é uma importante ferramenta de desenvolvimento para uma camada produtora de baixo poder aquisitivo. “Sem o financiamento, ela não teria condições de realizar o sonho de melhorar de condição de vida”.

Kuhn se orgulha e explica o porquê. “Não adianta somente entregar o dinheiro na mão do produtor, o êxito se deve a todo o acompanhamento: elaboração do projeto, Assistência Técnica, instalação e até mesmo a comercialização assessorados pela Emater, levando o produtor para feira para apresentar ao consumidor”.

O engenheiro agrônomo e assistente técnico estadual (ATE) de Crédito Rural da Emater/RS-Ascar, Dulphe Pinheiro Machado Neto, complementa que a Instituição está envolvido em todo o processo. “Desde a seleção dos produtores, recolhimento da documentação, elaboração dos projetos, implantação, Assistência Técnica e Extensão Rural e Social, elaboração do laudo de conclusão”, cita o ATE, ao destacar ainda a informatização, desde 2016, “agilizando todo o processo”.

O controle da execução orçamentária dos recursos destinados ao Feaper é atribuição da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR).

Os recursos do Feaper podem contemplar projetos de pessoas físicas, jurídicas e até mesmo cooperativas, associações ou entidades de agricultores ou pecuaristas familiares, pescadores artesanais, indígenas, quilombolas e assentados da reforma agrária. A seleção pode ocorrer por meio de reuniões dos conselhos municipais de Agricultura ou pelas prioridades elencadas pelos municípios na Consulta Popular.

Os beneficiados contemplados no final de 2017 têm até o próximo dia 23 para entregar o projeto e até o dia 15 de março para encaminhar toda documentação completa exigida.

Comentários estão fechados.