40 homens participam da Campanha Novembro Azul promovida pelo Hospital de Caridade

Consultas e exames gratuitos foram realizados visando à prevenção da doença

124

A Campanha Novembro Azul do HC incentiva, anualmente, a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata, o que aumenta significativamente as chances de cura. Na edição de 2017 da Campanha, 40 homens participaram da ação, na manhã de 17 de novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer de Próstata. No Pronto-Socorro da Instituição, eles foram atendidos pelos médicos urologistas Dr. Michel João e Dr. Luciano Corradi, depois de terem sido entrevistados pela assistente social, quando receberam requisições para o exame de sangue PSA – Antígeno Prostático Específico –, que diagnostica o câncer de próstata.  Foram parceiros da ação, além dos urologistas, o Laboratório de Análise Clínicas do HC, o Centro de Diagnóstico por Imagem, a Clínica Kozma e a Medicina Diagnóstica.

Segundo o Dr. Michel João, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, estando atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Por isso, o médico destaca a importância da Campanha realizada pelo HC e enfatiza que é essencial a doença ser diagnosticada no início, quando ainda não há metástases; com o diagnostico precoce, as possibilidades de cura alcançam 95% dos casos. A ênfase à prevenção é tão difundida porque alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. As mestástases podem surgir nos linfonodos, fígado, pulmões e ossos; para este último caso, não há cura. Dos homens atendidos pelo Dr. Michel João, apenas um foi encaminhado para biópsia, que também será feita gratuitamente.

Os sintomas mais comuns do tumor são a dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina, dentre outros. Para quem tem histórico familiar da doença os cuidados devem ser maiores e acompanhamento permanente. Entretanto, segundo o urologista parceiro da ação do HC, todos os homens a partir dos 50 anos devem realizar exames de rotina.

O paciente Leonel Zangrande, 59 anos, atendido na Campanha pela primeira vez, afirmou estar contente em conseguir realizar a consulta, já que em outras tentativas, não chegou a tempo para a seleção dos pacientes. “Eu era caminhoneiro e sempre perdia o prazo. Esse ano, aposentado, fui um dos primeiros”. Para ele, os cuidados devem ser redobrados, porque seu pai foi diagnosticado com a doença tardiamente e nada mais pode ser feito. Leonel aproveitou para elogiar a iniciativa do HC e chamar a atenção dos homens para fazerem seus exames regularmente.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.