Medicina da URI promoverá evento para prevenção do câncer infantojuvenil

             No Brasil, todos os anos, são cerca de 9 mil novos casos de câncer infantojuvenil diagnosticados. O Rio Grande do Sul, em 2019, aprovou a Lei 358/2019, que congrega esforços para alertar profissionais de saúde, pais, educadores e sociedade para a doença. E, neste ano, no dia 13 de agosto, o Governador Eduardo Leite sancionou a Lei 15.503 para agilizar o encaminhamento e o tratamento da doença. Isso é um diferencial que colabora com a possibilidade de tratamento precoce e, com isso, a cura efetiva.

         Considerando que na infância e na adolescência ocorrem mudanças, não apenas biológicas, mas também psicológicas, que podem ser modificadas de forma favorável ou desfavorável ao desenvolvimento de doenças, a aquisição de hábitos de vida saudáveis nesta fase é vista, hoje, como a estratégia preventiva que pode ajudar os indivíduos a se manterem por mais tempo saudáveis, evitando o câncer e outras doenças crônicas na idade adulta.

         Assim, é imprescindível, nas primeiras décadas de vida, difundir o conhecimento sobre os efeitos dos fatores de risco na expectativa média de vida da população, além de desenvolver estratégias preventivas que envolvam diversos setores da sociedade, visando à mudança de modos de vida baseada em evidências levantadas pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

         O movimento nacional, denominado Setembro Dourado, tem como objetivo conscientizar a população, principalmente pais, educadores e profissionais de saúde, sobre o câncer infantojuvenil.

         Neste contexto, o Curso de Medicina da URI estará promovendo um evento, a ser realizado no dia 28 de setembro, às 16h30min, pelo YouTube, com o tema “Setembro Dourado – Porque vidas valem ouro”.

         A intenção do evento é ampliar o debate sobre o assunto e chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce da doença, que aumenta as chances de cura em até 70%. Além disso, quando diagnosticada em fase inicial, é possível um tratamento menos agressivo, preservando a qualidade de vida dos pacientes.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais