Os efeitos da pandemia no Rally de Erechim

Diretor salienta que cidade deixa de ganhar em 2020, mas projeta evento de ‘retomada’ em 21

A pandemia do Covid-19 causou efeitos em todos os setores. O esporte não ficou de fora. Com todos os cuidados sendo tomados como forma de prevenção, uma série de eventos teve que ser suspensa ou simplesmente cancelada.

É o caso do Rally de Erechim, o maior evento de rali de velocidade do Brasil e um dos mais importante das América do Sul. Para o diretor do evento, Cláudio Pagliosa, não havia outra alternativa para este ano. “Tentamos todas as formas de manter o Rally para este ano. No entanto, a condição sanitária nos impediu de seguir adiante. Sabemos e entendemos que a saúde das pessoas vem sempre em primeiro lugar e é claro que sem esta segurança não poderíamos seguir adiante”, destaca.

De acordo com ele, Erechim deixa de faturar algo em torno de R$ 17 milhões com o cancelamento do Rally neste ano. “Temos um grande fluxo de movimento econômico que inclui combustíveis, lojas especializadas com produtos para os competidores e equipes, hotéis, restaurantes, comércio entre outros que costuma ter um grande fluxo de negócios com a realização do evento”, enfatiza.

Além disso, ações sociais também sofreram com a suspensão do evento. “Temos o Rally na Escola, que normalmente envolve cerca de 2,5 mil crianças das nossas escolas, o Rally Carbono Zero, que compensa a emissão da gás carbono com plantio de árvores e a arrecadação de alimentos, através do acesso ao Super Prime, que beneficia o programa Mesa Brasil e por consequência 38 entidades assistenciais de nossa região”, enfatiza. Neste sentido, foram desenvolvidas ações durante a pandemia, que culminaram com a arrecadação de alimentos e roupas, mantendo o mínimo possível em termos de atendimento a estes parceiros do Rally.

Desde que o projeto de arrecadação de alimentos iniciou, o Rally de Erechim já arrecadou mais de 80 toneladas de alimentos, sempre repassado ao Mesa Brasil. Mais de 2,5 mil árvores já foram plantadas dentro do Rally Carbono Zero.

Outro efeito importante sem o evento deste ano, está no turismo. “Erechim recebe visitantes da região, do Estado, de outros estados e outros países que vem para cá ver o evento e por consequência ampliam a rede de consumo”, pontua Pagliosa.

Mas ele acredita que a pandemia passará em breve e que 2021 poderá ser a ‘retomada’ de todos os eventos que englobam o Rally de Erechim. “As pessoas estão se cuidando, tomara que em breve tenhamos a tão esperada vacina contra o vírus e que isso nos leve a um novo momento, em que todos possamos voltar a fazer nossas atividades de maneira normal o que trará o público de volta aos eventos. O trabalho se dará neste sentido, de fortalecer ainda mais o evento para o próximo ano”, completa Cláudio.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais