Tráfico resulta em crimes violentos na região

Semana passada, escrevi que o mês de julho havia terminado com mais de três quilos de drogas apreendidos em Erechim e com a prisão de pelo menos 10 pessoas por tráfico, além de menores apreendidos pelo mesmo crime. Para esta edição pretendia abordar outros assuntos, mas como agosto segue no mesmo ritmo de julho, com prisões de traficantes, apreensões de adolescentes e entorpecentes, optei por permanecer no tema e falar sobre o que, talvez, seja um dos mais perigosos resultados do tráfico: a evolução para crimes violentos. São dezenas de casos registrados em Erechim e região nos últimos anos.

Disputas por áreas de comercialização, cidadãos pagando o preço do vício de outros, desentendimentos entre traficantes, execuções de usuários que possuíam dívidas. Tais crimes não escolhem vítimas e nem se preocupam com a possibilidade de que alguém sem ligação com os fatos acabe caindo no fogo cruzado. Crianças, adolescentes, homens e mulheres, a ganância pelo lucro gerado na venda de drogas não poupa ninguém.

Abaixo relembro apenas um pequeno número de violentos crimes ocorridos no Alto Uruguai e que de uma forma ou outra tiveram ligação com o tráfico de drogas. Ocorrências que mostram a brutalidade de traficantes e usuários, casos que devem servir como reflexão para que o combate ao comércio de entorpecentes não fique apenas nas mãos das polícias.

Sob efeito de crack

No último 1º de junho, Mateus Felipe Silva Moreira, 20 anos, foi condenado a 15 anos e quatro meses de prisão, em regime inicialmente fechado por espancar violentamente uma idosa, de 77 anos, na comunidade Rio Tigre, interior de Erechim. Na manhã de 26 de janeiro, ela estava em sua casa quando a mesma foi invadida por Mateus, que queria dinheiro.

Para subjugar a idosa, o criminoso bateu em sua cabeça com a coronha de uma espingarda, encontrada na residência. De acordo com o Ministério Público, ele só parou com as agressões ao achar que ela estava morta. A vítima acabou sendo salva por funcionários de uma empresa de telefonia que realizavam consertos nas proximidades e bateram na casa para saber se o telefone estava funcionando. Mateus os atendeu, se passou por mecânico e disse que a mesma estava dormindo, na sequência, a idosa conseguiu se arrastar até a área e balbuciar por socorro. Ela foi vista pelos trabalhadores e Mateus fugiu, levando consigo a espingarda, calibre 36, e um aparelho de televisão. Ele foi preso no dia seguinte, fugiu na madrugada de 15 de março junto com outros quatro detentos e voltou a ser preso no dia 24 do mesmo mês. A idosa permaneceu 15 dias internada na UTI, antes de ser liberada para o quarto e continuar em recuperação.

Ao juiz, Mateus contou que estava usando drogas em uma área de mato nas proximidades e quando ficou sem o entorpecente, saiu para “arrumar dinheiro”. Esperou uma pessoa que estava na casa sair e depois a invadiu, mas foi surpreendido pela idosa. Disse ainda que, cometeu o crime sob efeito de crack.

Morte no interior

Na manhã de 28 de maio de 2016, o agricultor Aldo Antônio Balestro, 49 anos, foi morto com um golpe de machado (parte de trás) na cabeça, em Linha Quatro, comunidade São João, interior de Erechim.

Balestro tinha o costume de permitir que pessoas usassem sua propriedade para churrascos e passassem o dia no local. Na data anterior ao assassinato, os criminosos teriam tentado embriagar a vítima, esperar que ela adormecesse e roubar o local, mas o plano não deu certo. Então, eles teriam usado drogas e saíram para assaltar um motel, nas proximidades. Na manhã seguinte retornaram até a propriedade de Balestro, mas a vítima desconfiou se tratar de uma tentativa de roubo devido ao acontecido no dia anterior e tentou impedi-los de entrar na casa, por isso foi assassinada. A dupla presa pelo latrocínio foi condenada em júri. Fábio de Lima Cardoso, foi sentenciado a 21 anos de reclusão e Cristiano Geraldo Kellm, a 23 anos e 04 meses.

Por um celular quebrado

A estudante Carla Bernardo Chagas, 20 anos, estava se sentindo triste pelo recente fim de seu relacionamento e na noite de 25 de janeiro de 2017 saiu para dar uma volta pelo centro de Erechim. Pouco depois das 22h, moradores da Rua Goiás, proximidades do colégio Haidée, ouviram uma voz pedindo socorro e ao verificarem, encontraram a jovem caída na calçada vítima de ferimento por faca. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu. A investigação apurou que naquela noite, a jovem encontrou um conhecido, Marcos Lima Trindade, que seria usuário de drogas e morador de rua, andaram juntos pela avenida e quando ela retornava para casa ele tentou roubar o celular da estudante, que estava com a tela quebrada, como ela se recusou a entregar, foi esfaqueada. Trindade foi preso no mês seguinte e sentenciado a 21 anos de prisão.

Bebidas, roubo e homicídio

Na noite de 05 de agosto de 2015, Albina Prigol, de 83 anos, foi encontrada morta no interior de sua residência, na comunidade de Linha Gramado, interior de Paulo Bento. Estava com as mãos e os pés amarrados e havia sido agredida.

Pelo crime a Defrec prendeu quatro pessoas: Maurício Machado dos Santos Correia, João Marcos Amaral Moreira, Adair José Duarte e Jocimar José Rodrigues. Aos policiais eles contaram que João Marcos e Josimar estavam bebendo, quando Adair chegou informando sobre uma residência no interior onde haveria armas e dinheiro, disse ainda que compraria as armas se fossem roubadas e entregou a João Marcos um revólver para praticar o crime. Maurício foi convidado por João Marcos e Josimar para participar e aceitou. Na residência eles foram surpreendidos por Albina, que começou a gritar e foi atingida por uma coronhada. Todos foram condenados a penas que variam de 13 a 24 anos de prisão.

Desentendimento

No início da manhã de 19 de abril de 2017, o corpo de Gilbero Bueno foi encontrado em uma rua deserta entre os bairros Industrial e Poltronieri. Bueno apresentava ferimentos no peito e nas costas provenientes de golpes de faca. Na mesma manhã, em uma ação conjunta entre a Polícia Civil e a Brigada Militar, dois adolescentes, de 15 e 17 anos, foram apreendidos e confessaram o crime. Um adulto foi preso por receptação, já que os adolescentes teriam roubado o carro da vítima e a bateria, rodas e o rádio do veículo foram encontrados em sua casa.

Aos policiais os menores contaram que estavam em um ponto de ônibus na Avenida Pedro Pinto de Souza, por volta das 22h da noite anterior, quando Bueno teria passado pelo local e oferecido carona aos mesmos. Vítima e autores teriam consumido drogas e então houve um desentendimento entre eles, momento em que ocorreu o homicídio.

Antes de se encontrarem com Bueno, a dupla teria assaltado um homem próximo ao bairro São Cristóvão e também é suspeita de participar de uma tentativa de homicídio em 2016, no bairro Cristo Rei.

Assassinada porque acabou o crack

Em 14 de abril de 2014, o corpo de Caliandra Freitas Espíndola, 28 anos, foi encontrado escondido sob algumas peças de roupas no jardim da Rodoviária Intermunicipal de Erechim. A vítima foi estrangulada, espancada e teve o rosto desfigurado por pedradas.

A Defrec prendeu três moradores de rua que foram apontados como autores do crime. De acordo com a investigação, o grupo estaria bebendo e usando crack no local do crime. Quando o entorpecente acabou, Espíndola era a única que tinha algum dinheiro e o restante do grupo queria então que ela usasse os R$ 20,00 que possuía para comprar mais drogas, como se recusou, houve discussão e ela foi assassinada.

Em júri realizado no ano de 2017, dois dos acusados foram condenados a 16 e 19 anos de prisão e a terceira foi absolvida. Em abril deste ano o Tribunal de Justiça anulou o júri e os acusados foram novamente levados a julgamento. Desta vez, todos foram absolvidos por falta de provas.

Criança no fogo cruzado

Em 18 outubro de 2017, Sandro Roberto Kalb, de 27 anos, e seu filho, Erik Eduardo Kalb, de 06 anos, foram assassinados a tiros na residência onde moravam, no bairro Copas Verdes. A criança chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. Uma adolescente de 14 anos que também estava na residência, foi ferida, mas sobreviveu. Na ocasião, por volta das 22h45min, dois indivíduos chegaram ao local em uma motocicleta, um deles desembarcou e começou a desferir os tiros.

A investigação apurou que Kalb traficava drogas na casa e o que motivou a sua morte foi um desacerto envolvendo o comércio dos entorpecentes. Os dois suspeitos do crime, Arão Tezeu Imbe Júnior e Gelson José Gonçalves, foram presos e devem ser submetidos ao Tribunal do Júri.

Por Alan Dias 

Comentários estão fechados.