Cartazes nas ruas alertam sobre abuso e exploração sexual

O Conselho Tutelar de Erechim dá voz à Campanha que marca a data de hoje, 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. Engajados no tema “Faça Bonito: proteja nossas crianças e adolescentes”, a equipe da entidade instalou nas ruas da cidade cartazes sobre o assunto. São dezenas deles que ganharam a Avenida Maurício Cardoso expondo mensagens e imagens de alerta a todos que passam pelo local.

A ação vem se somar aos esforços feitos em todo o País no sentido de proteger crianças e adolescentes de atos abusivos e aproximá-los dos canais de denúncia. Luciano Perosa, Coordenador do Conselho em Erechim, destaca a importância de divulgar esse trabalho para que cada vez mais pessoas confiem e usem dele. “Percebemos que essa situação infelizmente é recorrente dentro do círculo de convivência, por isso o medo cala a muitos. Campanhas assim dão coragem para falar e procurar ajuda. Precisamos mostrar que essas crianças e adolescentes não estão sozinhos, que eles têm quem luta por eles”, declara.

Ele ainda observa que “muitas denúncias são difíceis de comprovar, pois às vezes essa violência não deixa provas físicas, mas deixa consequências psicológicas sérias que levam a muito sofrimento”.  Estes e tantos outros motivos levam a equipe do Conselho Tutelar a se empenhar na continuidade da Campanha. Nos próximos dias os cartazes estarão em espaços públicos da cidade como supermercados para que mais cidadãos tomem conhecimento de como agir ao se deparar com situações de abuso e exploração de crianças e adolescentes. Em Erechim chame no telefone 3520-7051 em horário comercial, no 99176-0626 fone do plantão ou Disque Direitos Humanos, número 100.

O Dia 18

Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o País e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

A Campanha é permanente e realizada o ano todo por meio da conscientização no enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes. A proposta é mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais