Produtores de Cruzaltense são beneficiados com programa de silagem

O atual estágio das lavouras de milho, em que as plantas estão com 30% a 35% de matéria seca, faz com que os produtores tenham pressa em produzir silagem, interessados em garantir um produto com a melhor qualidade nutricional. Atentos a esta necessidade, a equipe da Secretaria da Agricultura e o governo municipal de Cruzaltense colocam à disposição dos agricultores o Programa Municipal de Silagem, que dá subsídio no valor das horas máquina e facilita o acesso aos equipamentos. Neste ano cerca de 205 hectares plantados com milho serão transformados em silagem usando os incentivos do  Programa Municipal. Parte dos serviços está sendo executado com máquinas da prefeitura e parte com equipamentos terceirizados, mas nos dois casos, o agricultor consegue economizar cerca de 40% do custo, segundo o secretário da Agricultura, Moacir Rochemback.

Para tradicionais produtores de leite como o agricultor Estanislau Wilk, quer tem 70 vacas  em lactação e produz mais de 30 mil litros de leite por mês, a silagem é fundamental para evitar os altos e baixos na atividade. “A receita é simples: pastagem mais silagem mais ração. Quando a pastagem sofre com estiagem ou geada, se não tiver silagem o custo de produção fica altíssimo”, ensina. O agricultor vai transformar 11 hectares de milho em silagem e calcula que precisará de 12 horas máquina para fazer o serviço.

O Secretário da Agricultura informa que a produção de leite é uma atividade importante no município e recomendada principalmente para agricultores familiares para viabilizar economicamente as propriedades. “Os agricultores que tem duas ou mais atividades conseguem resultados econômicos melhores e tem rendas mensais”, disse. Seu Estanilsau, que produz leite há 40 anos, recomenda a atividade. “O custo da lavoura está muito alto, se você depender só dos grãos, pode até colher bem, mas sobra pouco no fim da safra. A produção de leite, com os custos bem controlados, dá um bom resultado”.

O programa de silagem é oferecido em duas épocas do ano: no verão, para aproveitamento do milho e no inverno para silagem de cereais.  Cerca de 50 hectares plantados com aveia e sorgo foram transformados em silagem no ano passado, atendendo a todos os agricultores que se inscreveram no programa. Na época, a Secretaria da Agricultura utilizou uma máquina auto propelida  para silagem  e beneficiou cada família com  quatro horas/máquina gratuitas.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.