Indústria e comércio não são os “vilões” dos casos positivos de coronavírus em Erechim

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O projeto “Testa Erechim”, realizado por professores da UFFS – Universidade Federal da Fronteira Sul, apresentou resultados importantíssimos no que se refere a testagem, faixa etária, maior concentração por bairro e essencialmente, os positivos por ocupação.

Sabe-se que manter os erechinenses longe das atividades que mais apreciam ou lazer em tempos de pandemia de coronavírus, tem sido um desafio árduo para a municipalidade. Até mesmo, novamente foi adotada a circulação de carros de som que reforçam o pedido das autoridades, fique em casa.

Ao mesmo tempo os dados apresentados na tarde desta quinta-feira (16), contrariam alguns estudos e regras pré-estabelecidas. Embora o coronavírus jogue a economia em um mar de incertezas, o gráfico mostra que a indústria, o comércio, saúde e serviços, não são os “vilões” do momento pandêmico no qual nos encontramos.

Gráfico projeto “Testa Erechim”

O maior número de positivos são os idosos, representam 29,7%, seguido de pessoas do lar 15,7%. Indústria representa 7.0%, comércio 4,2% e a porcentagem é ainda menor no setor da saúde, 3,6%.

Sendo assim, entende-se que a melhor alternativa não é fechar esses espaços, fragilizar a economia e gerar desemprego. Os hábitos de higiene são necessários, mas não é fechando as portas, reduzindo jornada de trabalho que os problemas se resolverão.

Por Carla Emanuele

Get real time updates directly on you device, subscribe now.