Indústria e comércio não são os “vilões” dos casos positivos de coronavírus em Erechim

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O projeto “Testa Erechim”, realizado por professores da UFFS – Universidade Federal da Fronteira Sul, apresentou resultados importantíssimos no que se refere a testagem, faixa etária, maior concentração por bairro e essencialmente, os positivos por ocupação.

Sabe-se que manter os erechinenses longe das atividades que mais apreciam ou lazer em tempos de pandemia de coronavírus, tem sido um desafio árduo para a municipalidade. Até mesmo, novamente foi adotada a circulação de carros de som que reforçam o pedido das autoridades, fique em casa.

Ao mesmo tempo os dados apresentados na tarde desta quinta-feira (16), contrariam alguns estudos e regras pré-estabelecidas. Embora o coronavírus jogue a economia em um mar de incertezas, o gráfico mostra que a indústria, o comércio, saúde e serviços, não são os “vilões” do momento pandêmico no qual nos encontramos.

Gráfico projeto “Testa Erechim”

O maior número de positivos são os idosos, representam 29,7%, seguido de pessoas do lar 15,7%. Indústria representa 7.0%, comércio 4,2% e a porcentagem é ainda menor no setor da saúde, 3,6%.

Sendo assim, entende-se que a melhor alternativa não é fechar esses espaços, fragilizar a economia e gerar desemprego. Os hábitos de higiene são necessários, mas não é fechando as portas, reduzindo jornada de trabalho que os problemas se resolverão.

Por Carla Emanuele

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais