Fecomércio-RS lança campanha para a reabertura permanente do comércio

Entidade do comércio do Estado reforça que setor não é foco de transmissão

O comércio quer trabalhar. Este é o tema da campanha que a Fecomércio-RS iniciou nesta quinta-feira, 16 de julho, data em que comemorou o Dia do Comerciante. O objetivo é defender a retomada permanente do comércio e mostrar que as lojas de portas abertas não são focos da transmissão da Covid-19. “O governo precisa fazer a sua parte e fechar as atividades econômicas não é a solução. Famílias sem renda e sem condições básicas para sobrevivência também adoecem”, afirma o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

A campanha será veiculada em várias mídias e apresentará, entre outras mensagens os comerciantes que estão perdendo seus negócios e funcionários para as medidas restritivas impostas pelos governos. “A economia gaúcha já destruiu mais de 120 mil empregos formais, e novas demissões virão. Problema ainda maior é que muitas empresas estão deixando de existir. E lembremos todos: são empresas que empregam”, alerta Bohn.

A Fecomércio-RS, desde o início da pandemia, promoveu diversas ações em prol da permanência das atividades econômicas. Contribuiu com os governos estadual e municipais com protocolos sanitários e de funcionamento, encaminhou ofícios ao governo estadual pedindo reavaliação sobre o fechamento do comércio nas bandeiras vermelha e preta, apoiou sindicatos em ações contra o fechamento indiscriminado das atividades, divulgou manifestos pela retomada da economia, além de participar ativamente do Fórum de Combate ao Colapso Econômico do RS.

O presidente da Federação também destaca as ações em prol das empresas, como o compartilhamento de estratégias de gestão financeira e de produtos, atualização e interpretação das normas de funcionamento do comércio, orientações sobre utilização de ferramentas trabalhistas, tributárias e creditícias implementadas pelos governos. Além disso, outras diversas ações institucionais demandando medidas mitigatórias dos impactos econômicos durante o período de crise para aliviar o caixa das empresas. “Os negócios não podem ser os únicos culpados. Por isso nossa campanha já está nas ruas, nas casas das pessoas. Fizemos nossa parte com responsabilidade e cuidado com a saúde de todos. O comércio quer trabalhar”, finaliza Luiz Carlos Bohn.

Fonte: Usina de Notícias

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais