Assami promove “Oficina do Brincar” visando a integração entre pais e crianças

Objetivo é ensinar a brincar, que é a porta de entrada para o desenvolvimento infantil

Com o objetivo de que as crianças desenvolvam suas habilidades e os pais tenham um momento de interação por meio de brincadeiras com seus filhos e percebam que a escola e a família trabalham juntas para o seu desenvolvimento é que a Associação de Amparo à Maternidade e Infância – ASSAMI -, juntamente com o Curso de Pedagogia da UFFS – Universidade Federal da Fronteira Sul – promovem a “Oficina do Brincar”.

A segunda edição do evento foi realizada no último sábado, 14, à tarde, no Favo Educativo, localizado na Sede Administrativa da Assami, com estudantes da Escola de Educação Infantil Tia Gelsumina e suas famílias. O projeto é desenvolvido através de acadêmicas do Curso de Pedagogia da UFFS e é coordenado pela professora Adriana Loss, que atua na área de estágios da Universidade. A primeira edição foi realizada no dia 28 de abril.

Segundo Adriana Loss, que é formada em Pedagogia pela URI Erechim, Especialista em Psicopedagogia pela URI, Mestre em Educação pela UPF, Doutora em Educação pela PUCRS e Pós-doutora em Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, a pedagogia coloca o brincar como um processo significativo para o desenvolvimento da criança tanto físico, como psíquico e cognitivo. Por isso, foi firmada uma parceria entre a UFFS e a Assami, através da diretora das unidades escolares, Susana Opitz, para o desenvolvimento desse projeto com o intuito de incentivar que os pais brinquem com as crianças. A proposta é fazer um regate das brincadeiras antigas, brincadeiras de roda e danças infantis com a participação dos pais para desenvolver a afetividades entre eles, possibilitando e promovendo o abraço e o carinho.

A professora Adriana ressalta que, atualmente, as crianças estão muito envolvidas com a tecnologia, o computador e o celular, deixando de brincar e de estar em contato com a natureza e outras crianças. “O brincar é fundamental para o desenvolvimento de uma criança. É preciso que ela se relacione com outras crianças, troque experiências e conhecimento e não se comunique só pelo meio virtual”, acrescenta. Adriana avalia que a tecnologia quando bem usada é um recurso fantástico para o conhecimento, porém deve ser usada sob orientação dos pais, que devem estar junto com as crianças e atentos ao que elas estão acessando.

A especialista destaca que no momento que a família opta por ter filhos precisa dar atenção para eles, dedicar tempo para brincar, para orientar e dialogar. “As crianças de hoje estão sedentas de pai e mãe”, afirma.

A professora elogia a parceria com a Assami e agradece por a organização social ter aberto as suas portas para as acadêmicas estarem aprendendo com a entidade e, especialmente, aprendendo a serem professoras.

FAMÍLIAS APROVAM A INICIATIVA

Renata e Dimorvan Zampieri sãos os pais de Maria Eduarda Zampieri, 5 anos, que entrou na Escola de Educação Infantil Tia Gelsumina neste ano. Eles elogiaram a integração com as outras famílias e, especialmente, o brincar com as crianças que se sentem realizadas com a presença dos pais.

Marcos Karg, avô da Nátali, 6 anos, que está na Assami há dois meses, também gostou da atividade. Disse estar feliz por poder participar deste momento com a neta.

Daniela e Julcimar Martarello, pais do Bernardo, 2 anos, que está na Assami desde os três meses, também gostaram da iniciativa do projeto, pois podem acompanhar as atividades e o desenvolvimento do filho, assim como se integrar com outras famílias.

Elisiane Ferrari e Carlos Chiapetti, pais da Caroline Cristina Ferrari Chiapetti, 5 anos, também aprovaram o projeto. Para eles, significa um tempo a mais para ficar com a filha. Eles sabem que isso é muito importante para ela.

Comentários estão fechados.