ALERTA: Estudo da Fiocruz projeta mais de 1.700 casos de COVID-19 em Chapecó, na próxima semana

Segundo projeções, se mantidas as condições atuais no município de Chapecó, na próxima semana, é possível que o número de casos confirmados aumente para cerca de 1.700 pessoas.

O estudo científico foi realizado pelo projeto “Rede CoVida – Ciência, Informação e Solidariedade”, colaboração científica e multidisciplinar focado na pandemia de Covid-19 do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde da Fiocruz Bahia e a Universidade Federal da Bahia (Ufba).

“A Rede é uma resposta de pesquisadores e profissionais de comunicação que visam enfrentar a pandemia de Covid-19, apoiando a tomada de decisões dos gestores e oferecendo informações científicas confiáveis a partir do monitoramento de casos, da modelagem matemática e dos saberes reunidos por cientistas de diversos campos de saberes” – https://covid19br.org/

Com atualizações baseadas nos dados do Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais, o site do Projeto fez a sua última atualização, na manhã deste domingo (17), às 10h27min. Com isso, aponta a projeção que se Chapecó seguir no ritmo que está de casos, no dia 26 de maio de 2020, terá 1.759 pessoas confirmadas com a Covid-19.

Veja o gráfico abaixo:

Fonte: https://painel.covid19br.org/

O boletim epidemiológico do Governo de Santa Catarina deste sábado (16), apontou Chapecó, como a cidade que mais tem casos confirmados no estado Catarinense, com 480 registros. Em seguida, Florianópolis (473), Blumenau (418), Joinville (303), Criciúma (279), Concórdia (240), Balneário Camboriú (176), Itajaí (172), Navegantes (149) e Braço do Norte (109).

A Secretaria Estadual de Saúde de Santa Catarina, verificou no dia 08 de maio, um aumento de 159,3% do número de casos confirmados na região Oeste do estado. A Região abrange 78 municípios.

No mesmo dia, a Secretaria recomendou o reforço nos cuidados de prevenção à Covid-19 em todos municípios da Região Oeste e o fechamento do comércio não essencial em Chapecó por 14 dias.

Apesar da recomendação do governo do estado, o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSL), anunciou na manhã da segunda-feira (11) que os estabelecimentos continuariam abertos. ‘Não vamos atender à indicação do Estado e do Ministério Público’.

O prefeito anunciou ainda que seria intensificado a fiscalização na cidade. “Vamos, sim, apertar ainda mais a fiscalização, fechar os estabelecimentos não essenciais que descumprirem qualquer medida”, disse Buligon.

Já no dia (13), A prefeitura anunciou que a partir da quinta-feira (14), parques, praças e espaços públicos estariam fechados por tempo indeterminado. Além disso, comentou sobre o Boletim Estratégico, documento que reúne informações sobre as medidas de urgência decorrentes da pandemia.

De acordo com o documento, a administração municipal de Chapecó tomaria algumas medidas de fechamento do comércio, de acordo com três critérios:

– Se houver 50% de ocupação de leitos hospitalares destinados ao COVID-19 e, ao mesmo tempo, a curva de casos e de óbitos for ascendente, será determinado o fechamento de bares e similares e, outras atividades de lazer que por ventura estejam em funcionamento.

– Se houver 60% de ocupação de leitos hospitalares destinados ao COVID-19 e, ao mesmo tempo, a curva de casos e de óbitos for ascendente, será determinado o fechamento de todos os serviços não essenciais.

– Se houver 80% de ocupação de leitos hospitalares destinados ao COVID-19 e, ao mesmo tempo, a curva de casos e de óbitos for ascendente, será determinado lockdown. Fechamento geral do município.

Contraponto

Em vista do não acolhimento das recomendações do Governo de Santa Catarina pela Prefeitura de Chapecó, entidades ingressaram com ação civil pública na qual, além de outros requerimentos, pedem a execução das Recomendações feitas pela Secretaria de Estado da Saúde.

No entendimento das entidades, o município, estado e União, estão omissos no exercício de suas atribuições. Além disso, aponta que o debate não deveria ser sobre o fechamento do comércio, mas sim,  quando o poder público irá encarar seu papel de proteção aos cidadãos, conforme as melhores experiências internacionais têm demonstrado.

Na quinta-feira 14, a Juíza de Chapecó determinou que em até 72 horas União, Estado e Município de Chapecó precisam se manifestar sobre fechamento do comércio.

Casos em Chapecó

O primeiro caso confirmado de Coronavírus foi registrado em Chapecó no dia 20 de março. No dia 16 de abril o número saltou para 12 confirmações, segundo a Prefeitura Municipal.

Na atualização deste domingo (17) de maio, são 540 casos confirmados e 208 suspeitos. Estamos no 63º dia do primeiro caso confirmado no município.

Confira o gráfico da “Curva epidêmica dos casos confirmados de acordo com a data de início dos sintomas”: 

Fonte: Prefeitura Municipal | https://www.chapeco.sc.gov.br/documentos/54/documentoCategoria

Fonte: Redação Barriga Verde

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais