Getúlio Vargas será sede do V Fórum Norte Gaúcho do Milho

Evento será realizado no dia 27 de julho

Getúlio Vargas será palco, pelo 5º ano consecutivo, de mais uma edição do Fórum Norte Gaúcho do Milho. O evento será realizado no dia 27 de julho e tem como realizadores o Sindicato Rural de Getúlio Vargas, Accias, Prefeitura de Getúlio Vargas, Emater/RS Ascar, Faculdade Ideau e Associação dos Engenheiros Agrônomos da Regional Getúlio Vargas. O encontro técnico acontece no Centro Comunitário Centenário, das 8 às 16h30min.

A informação foi confirmada na tarde desta terça-feira, 15 de maio, durante reunião da comissão organizadora realizada no sede do Sindicato Rural de Getúlio Vargas. Presentes no encontro o presidente do Sindicato, Sidnei Beledeli; o vice-presidente da Sindicato Rural e representante da Accias, Luiz Carlos da Silva; o Coordenador do Curso de Agronomia da Faculdade Ideau professor Ronaldo Bernardon Meireles; e o publicitário Jhones Duart.

O V Fórum Norte Gaúcho do Milho vai abordar aspectos relacionados ao cultivo, viabilidade e comercialização, técnicas de plantio, controle de doenças e pragas, manejo na cultura do milho e clima, além de uma análise do mercado de commodities e as novas tendências para o milho.IMPORTÂNCIA DA CULTURA DO MILHO

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), atualmente, o mundo produz cerca de 2,5 bilhões de toneladas de grãos. A produção de milho, na safra 2016/2017, chegou a atingir 1,06 bilhão de toneladas, representando mais de 40% do total de grãos produzidos no mundo. Tem destacada importância na alimentação humana e animal, e na produção de combustível (etanol), principalmente nos Estados Unidos, além de ser utilizado para fabricação dos mais diversos produtos, como medicamentos e colas.

Atualmente, os maiores produtores mundiais de milho são os Estados Unidos, com aproximadamente 33% do total (safra 2016/2017); em sequência, aparecem a China, o Brasi e a União Europeia.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o maior aumento no consumo de milho ocorreu nos Estados Unidos, destinado principalmente à produção de etanol, sendo que, na China, entre outros motivos, o crescimento se deu em virtude do aumento do rebanho bovino de leite, que passou de 1,29 milhão de cabeças, em 1990, para 11,02 milhões de cabeças, em 2005. De uma forma geral, o consumo mundial de milho vem crescendo em decorrência do aumento do consumo per capita de proteína animal, já que o milho continua sendo o ingrediente com maior participação na produção de ração. Outro aspecto a ser destacado é o crescimento no consumo de milho na América do Norte, mais especificamente nos Estados Unidos, e no Leste da Ásia, com a expansão da demanda na China e demais países asiáticos. O cenário também indica redução nas exportações dos Estados Unidos e expansão nas exportações do Brasil.

A cultura do milho para o Rio Grande do Sul apresenta significativa importância socioeconômica, ocupando aproximadamente 15% do total das áreas semeadas com cultivos de primavera-verão somando as áreas destinadas para a produção de grãos e para silagem. Essa importância socioeconômica se evidencia na cultura do milho porque esse é matéria-prima fundamental para as cadeais produtivas de aves, suínos, leite e, em menor proporção, na pecuária.

Comentários estão fechados.