UPA: problema resolvido

No ano passado, quando o governo Schmidt comemorava o negócio praticamente fechado com o governo federal e estadual para aquisição da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) – na época estipulado em R$ 2 milhões -, defendi que era um equivoco pagar este valor para adquirir a estrutura da mesma.

Apesar da vontade do governo em adquirir definitivamente o espaço e “em tese” resolver o problema, o tempo e as negociações com estado e união foram fundamentais para que o município adquirisse a UPA sem precisar desembolsar um único centavo. Neste caso, o secretário adjunto, Jackson Arpini, teve papel fundamental nas negociações.

 

Por Fabio Lazzarotto

Comentários estão fechados.