UPA: problema resolvido

No ano passado, quando o governo Schmidt comemorava o negócio praticamente fechado com o governo federal e estadual para aquisição da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) – na época estipulado em R$ 2 milhões -, defendi que era um equivoco pagar este valor para adquirir a estrutura da mesma.

Apesar da vontade do governo em adquirir definitivamente o espaço e “em tese” resolver o problema, o tempo e as negociações com estado e união foram fundamentais para que o município adquirisse a UPA sem precisar desembolsar um único centavo. Neste caso, o secretário adjunto, Jackson Arpini, teve papel fundamental nas negociações.

 

Por Fabio Lazzarotto

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais