MPF ingressa com ação para obrigar concessionária a conservar ponte de Marcelino Ramos

O Ministério Público Federal (MPF) em Erechim ajuizou ação civil pública na Subseção Judiciária de Erechim para compelir a concessionária Rumo Malha Sul S.A. a cumprir suas obrigações legais e contratuais e realizar, no prazo máximo de 60 dias, reparos de urgência na parte rodoviária da ponte situada entre os municípios de Marcelino Ramos/RS e Alto Bela Vista/SC. No mesmo sentido, requer que ela seja declarada responsável pela manutenção e conservação da parte rodoviária do bem. Além disso, o MPF requereu que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT e/ou a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT acompanhem e fiscalizem a concessionária nas manutenções realizadas na ponte.

O MPF pretende, ainda, que os municípios de Marcelino Ramos/RS e Alto Bela Vista/SC zelem pela conservação do bem em termos de patrimônio histórico/cultural, tomando as providências cabíveis no âmbito das suas atribuições legais.
Histórico – A ponte localizada entre os municípios de Marcelino Ramos/RS e Alto Bela Vista/SC foi inaugurada no ano de 1913 para atendimento exclusivo ao transporte ferroviário. Todavia, no ano de 1996, a extinta Rede Ferroviária S.A. – RFFSA, então proprietária do bem, autorizou, a partir da assinatura de um Protocolo de Intenções, a passagem de veículos rodoviários na ponte em questão e assentou um assoalho de madeira no local.

Com a concessão do serviço público de transporte de carga realizada pela União, a Rumo Malha Sul S.A. passou a ser a responsável pela exploração de serviço e também pela ponte, arrendada à empresa após celebração de contrato.

Ocorre que, não obstante possuir a obrigação de zelar pela integridade dos bens vinculados à concessão, a Rumo Malha Sul S.A., com a anuência do DNIT e da ANTT, esquivou-se das suas responsabilidades e nunca promoveu a manutenção da parte rodoviária da ponte. Ao longo dos anos outros entes realizaram obras de caráter paliativo, a fim de possibilitar o tráfego de veículos. Apesar disso, a ponte permanece sem as condições ideais de segurança, apresentando riscos aos usuários e exposta a danos estruturais.

 

Por Marcelo Santos / Portal de Marcelino Ramos

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais