Até quando o Partido Novo se manterá “fiel”!

Há poucos mais de uma semana, entrevistamos na Rádio Cultura o pré-candidato ao governo pelo Partido Novo, Mateus Bandeira, e o presidente da sigla, Guilherme Enck, para saber sobre suas propostas. Durante a entrevista os mesmos apresentaram muitas ideias interessantes, que se implantadas podem dar certo no Rio Grande do Sul e no Brasil. No entanto, fiquei com uma dúvida: até quando o Partido Novo vai conseguir se manter fiel ao seu estatuto, sem se “prostituir” no sistema político nacional?

Quando surgiu o PT, para se filiar a ele era preciso ser aprovado por uma comissão partidária e ter uma vida ilibada. No início muitas pessoas que queriam filiação foram reprovadas pela comissão, mas quando o partido chegou ao poder, em nome da governabilidade, deu no que deu. Assim também foi com PSDB e mais recentemente com o PSD, que surgiu em nossa cidade como o partido dos cinquenta grandes pensadores do desenvolvimento do nosso município e acabou sucumbindo no primeiro assédio político por interesses individuais. Passada a eleição, até agora não sabe se é oposição ou situação.

Por isso que tenho dúvidas sobre até quando o Partido Novo se manterá fiel a seus princípios, já que ainda não sentiu o gosto do poder e está filiando políticos da velha política. Quando chegar ao poder, para governar precisará negociar com os partidos tradicionais. Uma proposta nova que se levada a sério pode dar certo, mas como sou um pouco São Tomé, preciso ver para crer.

 

Por Egidio Lazzarotto

 

 

Comentários estão fechados.