Até quando o Partido Novo se manterá “fiel”!

Há poucos mais de uma semana, entrevistamos na Rádio Cultura o pré-candidato ao governo pelo Partido Novo, Mateus Bandeira, e o presidente da sigla, Guilherme Enck, para saber sobre suas propostas. Durante a entrevista os mesmos apresentaram muitas ideias interessantes, que se implantadas podem dar certo no Rio Grande do Sul e no Brasil. No entanto, fiquei com uma dúvida: até quando o Partido Novo vai conseguir se manter fiel ao seu estatuto, sem se “prostituir” no sistema político nacional?

Quando surgiu o PT, para se filiar a ele era preciso ser aprovado por uma comissão partidária e ter uma vida ilibada. No início muitas pessoas que queriam filiação foram reprovadas pela comissão, mas quando o partido chegou ao poder, em nome da governabilidade, deu no que deu. Assim também foi com PSDB e mais recentemente com o PSD, que surgiu em nossa cidade como o partido dos cinquenta grandes pensadores do desenvolvimento do nosso município e acabou sucumbindo no primeiro assédio político por interesses individuais. Passada a eleição, até agora não sabe se é oposição ou situação.

Por isso que tenho dúvidas sobre até quando o Partido Novo se manterá fiel a seus princípios, já que ainda não sentiu o gosto do poder e está filiando políticos da velha política. Quando chegar ao poder, para governar precisará negociar com os partidos tradicionais. Uma proposta nova que se levada a sério pode dar certo, mas como sou um pouco São Tomé, preciso ver para crer.

 

Por Egidio Lazzarotto

 

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais