Região de Getúlio Vargas unida em busca de mais segurança

Preocupado com os altos índices de violência em Getúlio Vargas, o prefeito do município, Maurício Soligo, se uniu aos prefeitos de Estação Erebango, Charrua, Floriano Peixoto, Ipiranga do Sul e Sertão para pedir mais segurança para aquela região. A primeira ação foi uma reunião com o subcomandante do 13º BPM, major Uilson Cecconello; o delegado da Polícia Civil de Getúlio Vargas, Jorge Pierezan; e o promotor de Justiça da Comarca de Getúlio Vargas, Márcio Abreu Ferreira da Cunha, além de lideranças. Agora, unidos, os prefeitos entregaram ao secretário de Segurança Pública do Estado, Cezar Schirmer, um pedido para que se aumente o efetivo das duas forças policiais na área.

De acordo com dados apresentados pelo major Uilson, atualmente a defasagem de policiais militares para cuidar da região dos municípios citados é de 62%. Seriam necessários pelo menos 100 PMs, mas o efetivo é de 32. Outro ponto bastante preocupante foi apresentado pelo promotor Márcio Cunha. Segundo ele, só este ano, em Getúlio Vargas, ocorreram 11 homicídios, o que representa um índice de 62 homicídios para cada 100 mil habitantes. “Esse é um índice de guerra”, frisou.

No início do mês escrevi que a Segurança Pública do Alto Uruguai parece ter sido esquecida pelo Estado, não só pelo atual governo, mas pelos anteriores também. Todas as forças de segurança da região (Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe, Polícia Rodoviária Estadual e Federal) trabalham com um déficit de efetivo que vem crescendo ano a ano, isso quando operações em outros municípios não acabam tirando policiais daqui. Os atuais concursos para policiais civis e militares devem resultar em um bom reforço para o Estado, mas é preciso lutar para que a região não seja esquecida na hora da distribuição, e fazer isso de forma unida, independente de partidos, parece ser o melhor caminho.

Por Alan Dias 

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.