Gratidão! A palavra de ordem

Duas importantes proezas semeadas nos campos do Alto Uruguai: a vinda do curso de medicina, após publicação oficial por parte do MEC/SERES e, na sequência, o anúncio, sob a tutela do Ministério da Saúde, da Concessão de Entidade Beneficente de Assistência Social (CEBAS), ao Banco de Sangue do Alto Uruguai Gaúcho.

Ambos os feitos foram fruto de vozes uníssonas e irmanadas que trilharam caminho, às vezes, íngreme, para chegar à colheita. Sementes de uma cidade, de uma região e de uma comunidade que soube com persistência, perseverança e sabedoria transpor os entraves.

Gostaríamos, pelo momento ímpar e comemorativo, em virtude da publicação da Portaria nº 1.873, de 06 de dezembro de 2017, de tecer alguns comentários e, também, expressar justos agradecimentos.

O Banco de Sangue do Alto Uruguai Gaúcho foi fundado em 1988 e tem na sua personalidade jurídica, desde a sua semeadura, a denominação de Associação Beneficente dos Receptores de Sangue de Erechim.

Vejamos! No seu DNA já constava a nomenclatura beneficente, o que significa dizer que de fato o serviço de saúde cumpre um papel de relevância social. A certificação faz justiça a uma entidade que de fato é filantrópica, mas, não tinha a concessão pública de direito – os benefícios.

Não podemos perder de vista que 75% da sua produção de hemoderivados são destinadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), um dos itens avaliados, entre tantos outros de forma muito pormenorizada. O rigoroso processo teve seu plantio inicial em dezembro de 2016, quando foi protocolado junto ao órgão ministerial o arcabouço documental requerendo tal intento. Uma justa pretensão.

Para chegarmos a esse momento – da colheita – muitos próximos deram sua contribuição. E fizemos questão, por gratidão, de enaltecer. Quando ocupava o cargo de presidente do Conselho Municipal de Saúde o ex-prefeito municipal Paulo Alfredo Polis, em reunião de trabalho, externou a sua preocupação com relação à situação financeira do serviço. Na época o mandatário determinou, em consonância com o secretário de Saúde, Dr. Plínio Costa Júnior, uma atenção especial à delicada situação, inclusive, com repasse de recursos financeiros para não paralisar os serviços. Gratidão à confiança depositada para tal atribuição.

Com o agravamento da crise o Poder Judiciário – Comarca de Erechim, através do despacho do Juiz de Direito, Dr. Luís Gustavo Zanella Piccinin, nomeou a minha pessoa na condição de administrador judicial, deferindo poderes gerais de administração e gestão da associação perante órgãos públicos e privados. Uma deferência que, igualmente, merece gratidão.

No lavor surgiram apoiadores. Dr. Alexandre Bisognin Lyrio analisou a matéria. Éder Spitcza, do Hospital de Caridade, foi preciso na revisão do estatuto, pela experiência junto à instituição que é detentora de certificação. O Escritório Benincá, voluntariamente e pela expertise na temática, revisou a documentação. O Escritório In Company graciosamente elaborou os relatórios fiscais. Nessa fase, concluída a parte cartorial e, com as regas de muitos, novamente vem à baila a palavra gratidão.

Restava no momento protocolar à documentação em Brasília. A ex-vereadora Vânia Miola manteve contatos com secretarias de governo em busca de portas abertas. A suplente de vereadora, Marinês Rosa Ronsoni, manifestou que poderia colaborar e realizou a interlocução com o deputado federal Luis Carlos Heinze. O parlamentar gaúcho, por sua vez, abraçou o pleito e monitorou, passo a passo, o processo, num pleno triunvirato: DCEBAS, parlamentar e entidade. Foi preciso nos seus feitos e merece gratidão.

Os presidentes da AMAU (plural), representando o colegiado de prefeitos, foram fiéis escudeiros. Idas a Brasília em parceria começaram a ficar habituais. A Diretora do DCEBAS, Dra. Victória Paiva, acolheu a intenção e junto com o técnico Bruno Carrijo foram implacáveis na celeridade da apreciação da complexa análise. Profissionais qualificados que merecem, pela seriedade e competência, nossa gratidão.

Em 2017, os novos mandatários de Campo Pequeno entram em cena. Prefeito Schmidt e secretário de Saúde, Dr. Nonemacher, referendam tal demanda e juntos voamos a capital federal. Em pauta mais uma audiência junto ao órgão competente para dar curso ao processo.

Por fim, regados de esperança com a chegada do mês natalino recebemos ainda, na Capital da República, uma ligação da Dra. Victória comunicando que o processo chegou ao seu término. Conseguimos o intento.

Agora, só nos resta agradecer. Gratidão é a palavra de ordem (aos citados e tantos outros que depositaram suas esperanças na demanda e que, de uma forma ou outra, corroboraram para o alcance do sonho – e foram muitos).

A todos, literalmente todos, profunda gratidão.

Jackson Luis Arpini

Cirurgião Dentista

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.