2018, um ano que promete!

Na média, 2017 deve deixar poucas saudades para boa parte dos erechinenses – acompanhando, aliás, um sentimento nacional. Todavia, o ano de 2018 promete ser melhor. Talvez, muito melhor.

O indicativo, carregado de esperança, provém da perspectiva em relação à (necessária) retomada econômica, mas traz consigo uma série de outros elementos, que a coluna passa a expor, a partir de entrevistas com representantes das classes política e empresarial – com destaque aos presidentes da Accie, Claudionor Mores, e da Unindustria, Walmir Badalotti.

Entre os elementos ‘animadores’, destacam-se:

– O início das aulas do curso de Medicina da URI, com vestibular em 21 de janeiro;

– A entrada em funcionamento de, pelo menos, dois novos supermercados de grande porte na cidade;

– O prometido, aguardado e arrastado início da instalação do novo distrito industrial de Erechim, com cerca de 30 lotes, num investimento estimado de R$ 150 milhões – gerando aproximadamente 2 a 3 mil empregos num prazo de dois anos;– Ampliação na planta de Erechim do frigorífico de abate de suínos da Central Aurora Alimentos (3º maior grupo brasileiro de proteína animal), gerando mais de 900 novos empregos, além de fortalecer a cadeia produtiva regional;

– Reforço da presença da Alfa na região;

– Criação do Fórum de entidades empresariais – união que promete integrar os setores produtivos locais, fazendo contraponto à falta de representatividade política;

– Formatação de um conselho de desenvolvimento econômico municipal, com a presença de mais de duas dezenas de entidades;

– As celebrações do centenário de Erechim, incluindo a Frinape e a Festa das Nações – momento ímpar para buscar revigorar o sentimento pela cidade e a estima da comunidade;

– Promessa de novas empresas e marcas chegando a Erechim, de diversos segmentos (entre elas, a Isopac, de Santa Catarina, e um grupo empresarial que projeta a instalação de um shopping às margens da BR-153);

– Empresas locais com novos investimentos; e outras se safando de seus respectivos atoleiros, como Comil e Intecnial, com a retomada de seus parques fabris;

– Amadurecimento as parceria entre as Universidades e o empresariado – trazendo tecnologia para dentro das empresas – com foco na inovação;

– Estímulo à agroindústria, buscando aproveitar a matéria-prima local e transformar em produtos, agregando valor;

– Breve aceno indicando a possibilidade da retomada de voos regulares (de pequeno porte) entre Erechim e POA no aeroporto (de pequeno porte) Comandante Kraemmer;

– Retomada da economia nacional;

– Eleições, em outubro, quando mais uma vez será dada a oportunidade para que o eleitor de Erechim e do Alto Uruguai vote de forma consciente e eleja (depois de décadas de vacas magras) representantes comprometidos com os interesses locais nos parlamentos estadual e federal.

Enfim, 2018 promete. Sinceramente, espero que honre a expectativa depositada.

Enquanto isso, tratemos de trabalhar, cuidando de nossa saúde e das relações familiares, fazendo do ano que vai nascer o melhor de nossas vidas. Amém!

Por Salus Loch

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.