Vereadores aprovam Emendas Modificativas ao Projeto do Executivo

Aprovada, nesta segunda, no Plenário da Casa, Emendas Modificativas dos vereadores Rafael Ayub e Gilson Serafin, Sandra Picoli e Claudemir de Araújo com relação ao Projeto de Lei Executivo de número 086/2017, que regulamenta a obrigatoriedade para as edificações permanentes urbanas de se conectarem com a rede de abastecimento de água potável e de esgotamento sanitário, quando disponíveis, aprovada na segunda, 13.

Artigo 45 da Lei Federal de 2007, Lei Nacional de Saneamento Básico, estabelece a obrigação de toda a edificação permanente e urbana se conectar à rede pública de abastecimento de água potável ou de esgotamento sanitário, se disponíveis. O mesmo dispositivo prevê, também, que o município, ou o regulador dos serviços, ou, ainda, a autoridade ambiental, pode prever exceções a esta obrigação.

“O objetivo da iniciativa é apenas dar cumprimento ao previsto na legislação federal, porém com toda a atenção às particularidades de nosso município. Neste sentido, se previu o procedimento no qual: I – o usuário seja adequadamente informado da existência e da disponibilidade da rede pública, II – haja prazo razoável para que o mesmo usuário cumpra a obrigação legal de se ligar à rede pública disponível”, justifica o Executivo.

O que diz a Emenda Modificativa de Ayub e Pimenta:

Ficam alterados os parágrafos 3°, 4°e 5° do Art.3º, que passam a ter a seguinte redação:

§3.º O prazo para o cumprimento da obrigação de se conectar às redes públicas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário disponíveis é de 180 (cento e oitenta ) dias, a partir da data da disponibilização da rede pública ou da data de recebimento da notificação, sempre considerado o termo que for mais favorável ao usuário.

§4.º Tão logo, em cumprimento à obrigação prevista no caput, realize a conexão da instalação predial às redes públicas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário disponível o usuário deve comunicar ao prestador dos serviços mediante canal de comunicação.

§5.º Decorrido o prazo, com ou sem a efetiva ligação às redes públicas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário disponível, o usuário estará sujeito ao pagamento da tarifa relativa ao serviço público que lhe foi posto à disposição.

O que diz a Emenda Modificativa de Sandra e Araújo:

“Acresce o parágrafo 6º (sexto), ao artigo 3º (terceiro) do Projeto de Lei Executivo 086/2017, que passa a vigorar com a seguinte redação: “parágrafo sexto (6º): a cobrança relacionada às tarifas de ligação a rede pública de esgotamento sanitário, somente poderão ser cobradas quando do concreto e efetivo implemento da estação de tratamento do esgoto que atenda referida residência.” “A mesma justifica-se pela necessidade de preservar o contribuinte erechinense na proporção que somente será cobrado após a efetiva concretização do referido”, justificam.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais