Município comemora um ano da Incubadora Tecnológica

Com o objetivo de dar suporte a novos empreendedores e fomentar, cada vez mais o crescimento do município e a geração de novas frentes de trabalho, a Incubadora Tecnológica de Erechim completa, nesta sexta-feira, 18, o seu primeiro aniversário.

Localizada na Rua Clementina Rossi, 605, com 500 metros quadrados e estrutura completa para acolher todo e qualquer projeto que tenha viés tecnológico, atualmente conta com as empresas incubadas Agio Assistência, Aljin Pergunte ao Gênio, Eng & Tech Automação, Enliber, Hookapp, Mobile, Sync House e Vieng Projetos.

Também fazem parte do time, as empresas âncoras Cavaletti Cadeiras Profissionais, Creral Telecom, Dataware Software e Sicredi Uniestados. A Incubadora Tecnológica também já elevou duas empresas ao status de empresas graduadas, a First Lean Automation e a Pluviam Tecnológica. Destacam-se na incubadora três conceitos, os quais são fortemente abordados, a inovação, mobilidade urbana e sustentabilidade.

De acordo com Diego Luis Andreta, Chefe da Divisão das Cadeias Produtivas Locais e Gestor da Incubadora Tecnológica, para o ano de 2020 a meta é tornar a incubadora tecnológica mais atrativa aos empreendedores de base tecnológica.

“Estão sendo trabalhados convênios com instituições de ensino, dentre as quais já demonstraram interesse, a FAE, IFRS, UERGS e UFFS. Um convênio com a CDL está em discussão para a formação do espaço Inove, visando o desenvolvimento de atividades de inovação ao comércio local. A previsão é que para o início de 2020 sejam lançados os editais para os respectivos convênios, bem como para a captação de mentores, que são os profissionais das mais diversas áreas de atuação, que indicarão o caminho para o qual os projetos alocados na incubadora deverão seguir para que tenham sucesso”, aponta.

Diego reforça que também está prevista uma alteração legislativa visando tornar o espaço mais atraente, retirando-se os limites de vagas existentes e principalmente, com a redução dos custos de manutenção para as empresas incubadas, haja vista que o modelo atual tem dificultado a permanência de algumas empresas por ter se demonstrado muito oneroso no início.

Para o secretário do Desenvolvimento Econômico Altemir Barp, a Incubadora Tecnológica é um dos caminhos como inovação no que se refere ao desenvolvimento de uma cidade com tecnologia.

 

Comentários estão fechados.