Chegou a hora de o Galo cantar: Atlântico estreia na Liga Nacional de Futsal

Começa neste sábado, 16 de março, a maior e mais difícil competição do futsal mundial. Serão 19 equipes tentando alcançar um único objetivo, o título de campeão da Liga Nacional. A edição 2018 contará novamente com pelo menos cinco ou seis candidatos ao posto de melhor time de futsal brasileiro na temporada. As equipes se reforçaram para tentar conquistar o mais cobiçado título do ano e o Atlântico é um dos times que mais se reforçou. A manutenção de alguns dos principais destaques de 2017 somados aos reforços que desembarcaram no Caldeirão do Galo, colocam o time de Giba na lista dos candidatos ao título do certame nacional.

A Supercopa de Futsal colocou o Atlântico frente a frente com pelo menos dois dos melhores times da liga: Joinville e Magnus. A equipe catarinense é a atual campeã da Liga Nacional e conta com a manutenção de boa parte do grupo passado, além de alguns reforços de qualidade. O Magnus tem um conjunto de grandes jogadores, como Falcão e o atual melhor jogador do futsal brasileiro, Leandro Lino. Os dois confrontos mostraram que o verde-rubro pode brigar de igual para igual com qualquer outra grande equipe do futsal nacional.

O caminho do Atlântico na longa e árdua Liga Nacional inicia neste sábado, 16, às 19h, no Caldeirão do Galo, contra o Joaçaba Futsal. É jogo para vencer e reiterar a condição de um dos favoritos a levantar o caneco. Na temporada 2017, o Galo sucumbiu em casa diante de alguns adversários tecnicamente inferiores. Nos confrontos contra equipes de melhor qualidade, o verde-rubro conseguiu ter bons desempenhos, mas nem sempre os resultados foram a seu favor. Além do Joaçaba, nas primeiras rodadas o Atlântico jogará em casa contra Shouse (24/03) e Intelli (07/04). O primeiro jogo longe de Erechim será no dia 17 de abril, contra o Corinthians, em São Paulo.

 

Avaliação interna

Após ficar com o vice-campeonato da Supercopa de Futsal, direção e comissão técnica do Atlântico fizeram uma minuciosa avaliação do que deu certo e o que precisa melhorar para o restante da temporada, em especial para a estreia na Liga Nacional de Futsal. Segundo uma fonte, a avaliação teve mais pontos positivos do que negativos, o rendimento do grupo na competição agradou. Por outro lado, o goleiro linha foi apontado como um dos principais detalhes a ser melhorado. A primeira constatação é que Silva não pode atuar como goleiro linha, pelo menos não da forma como atuou. A segunda é que Keké sabe jogar melhor com o goleiro linha do que Jé.

A avaliação da direção e comissão técnica após o término da Supercopa bate com as avaliações feitas pelos cronistas esportivos que acompanharam a competição, ou seja, vimos a mesma coisa.

 

Opinião

Na última semana conversei com um dos grandes entendedores de futsal no país, Luís Fernando Testa (Testinha), e o questionei sobre quem eram os favoritos ao título da Liga Nacional em 2018. Testinha respondeu sem titubear: “Atlântico, Carlos Barbosa, Joinville, Marreco e Magnus”. Na avaliação dele, o galo perdeu jogadores, mas repôs com mais qualidade, além de possuir um treinador extremamente inteligente. Quando falou sobre o Marreco, Testa destacou que o time paranaense montou um grupo fortíssimo para brigar pela Liga.

 

Por Fabio Lazzarotto

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais