Chegou a hora de o Galo cantar: Atlântico estreia na Liga Nacional de Futsal

Começa neste sábado, 16 de março, a maior e mais difícil competição do futsal mundial. Serão 19 equipes tentando alcançar um único objetivo, o título de campeão da Liga Nacional. A edição 2018 contará novamente com pelo menos cinco ou seis candidatos ao posto de melhor time de futsal brasileiro na temporada. As equipes se reforçaram para tentar conquistar o mais cobiçado título do ano e o Atlântico é um dos times que mais se reforçou. A manutenção de alguns dos principais destaques de 2017 somados aos reforços que desembarcaram no Caldeirão do Galo, colocam o time de Giba na lista dos candidatos ao título do certame nacional.

A Supercopa de Futsal colocou o Atlântico frente a frente com pelo menos dois dos melhores times da liga: Joinville e Magnus. A equipe catarinense é a atual campeã da Liga Nacional e conta com a manutenção de boa parte do grupo passado, além de alguns reforços de qualidade. O Magnus tem um conjunto de grandes jogadores, como Falcão e o atual melhor jogador do futsal brasileiro, Leandro Lino. Os dois confrontos mostraram que o verde-rubro pode brigar de igual para igual com qualquer outra grande equipe do futsal nacional.

O caminho do Atlântico na longa e árdua Liga Nacional inicia neste sábado, 16, às 19h, no Caldeirão do Galo, contra o Joaçaba Futsal. É jogo para vencer e reiterar a condição de um dos favoritos a levantar o caneco. Na temporada 2017, o Galo sucumbiu em casa diante de alguns adversários tecnicamente inferiores. Nos confrontos contra equipes de melhor qualidade, o verde-rubro conseguiu ter bons desempenhos, mas nem sempre os resultados foram a seu favor. Além do Joaçaba, nas primeiras rodadas o Atlântico jogará em casa contra Shouse (24/03) e Intelli (07/04). O primeiro jogo longe de Erechim será no dia 17 de abril, contra o Corinthians, em São Paulo.

 

Avaliação interna

Após ficar com o vice-campeonato da Supercopa de Futsal, direção e comissão técnica do Atlântico fizeram uma minuciosa avaliação do que deu certo e o que precisa melhorar para o restante da temporada, em especial para a estreia na Liga Nacional de Futsal. Segundo uma fonte, a avaliação teve mais pontos positivos do que negativos, o rendimento do grupo na competição agradou. Por outro lado, o goleiro linha foi apontado como um dos principais detalhes a ser melhorado. A primeira constatação é que Silva não pode atuar como goleiro linha, pelo menos não da forma como atuou. A segunda é que Keké sabe jogar melhor com o goleiro linha do que Jé.

A avaliação da direção e comissão técnica após o término da Supercopa bate com as avaliações feitas pelos cronistas esportivos que acompanharam a competição, ou seja, vimos a mesma coisa.

 

Opinião

Na última semana conversei com um dos grandes entendedores de futsal no país, Luís Fernando Testa (Testinha), e o questionei sobre quem eram os favoritos ao título da Liga Nacional em 2018. Testinha respondeu sem titubear: “Atlântico, Carlos Barbosa, Joinville, Marreco e Magnus”. Na avaliação dele, o galo perdeu jogadores, mas repôs com mais qualidade, além de possuir um treinador extremamente inteligente. Quando falou sobre o Marreco, Testa destacou que o time paranaense montou um grupo fortíssimo para brigar pela Liga.

 

Por Fabio Lazzarotto

Comentários estão fechados.