Sessão Solene em comemoração aos 50 anos do Corpo de Bombeiros presta homenagem aos anjos da guarda

O Plenário da Casa Legislativa foi o palco, na noite desta quinta, de homenagens ao Corpo de Bombeiros de Erechim, que comemora neste ano seus 50 anos de fundação e trabalho ininterrupto para salvar vidas em Erechim e região. A proposição foi da vereadora oradora da noite, Sandra Picoli.

Resgatando a história, Sandra destacou o dia 02 de julho de 1856, quando Dom Pedro II instituiu o Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, no Rio de janeiro, através do Decreto Imperial nº 1775, o qual regulamentou, pela primeira vez no Brasil, o serviço de extinção de incêndio.

No Rio Grande do Sul os trabalhos de combate aos incêndios, iniciam em 1884 com a Companhia de Seguros Porto Alegrense, que passou a prestar um serviço informal de combate a incêndios na Cidade de Porto Alegre.

Em 01 de março de 1895, data oficial, foi criado o 1° Corpo de Bombeiros de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul, denominado na época de “Companhia de Bombeiros de Porto Alegre”.

“O povo gaúcho é conhecido por ser destemido, lutando em favor do nosso Estado, como a própria história nos conta através de belas canções. E o nosso Corpo de Bombeiros não poderia ser diferente, pois luta em prol das nossas vidas, mesmo que as condições da época ou atuais não os favoreça”, pontua.

Através da Lei Municipal nº 649 de 20 de junho de 1962, foi firmado pelo Poder Executivo Municipal, Jorge Mandelli Filho, prefeito da época, um convênio com o Estado para a instalação de uma Seção de Combate a Incêndio em Erechim, vindo está a ser instalada em 23 de dezembro de 1967, quando o Prefeito Municipal era Eduardo Pinto de Souza, na época com um efetivo de 18 homens e um Auto Bomba Tanque.

O Corpo de Bombeiros Militar, órgão independente e ligado à Secretaria de Segurança Pública, tem como missão à prevenção e o combate a incêndio, fiscalização e controle dos serviços civis auxiliares de bombeiros, a realização de buscas e salvamentos e ações de defesa civil.

Em 23 de Dezembro de 1927, cria-se em Erechim a 2° Companhia de Bombeiro Militar. “Há 50 anos protegendo a população de Erechim e região”.

Atualmente o Corpo de Bombeiros de Erechim possui um efetivo de 28 Bombeiros Militares e é responsável pela salvaguarda de vinte e um Municípios limítrofes.

Conta atualmente com 05 viaturas de combate a incêndio, com capacidade total de trinta e cinco mil litros de água, uma ambulância Auto Resgate Giratória para emergências e 07 viaturas leves para a Assessoria de Atividades Técnicas e está posicionado estrategicamente em duas Seções de Combate a incêndio. Uma localização na Praça Jaime Lago – Centro, e outra no Bairro Três Vendas.

Através da Assessoria de Atividades Técnicas possui mais de dez mil Planos de Prevenção e de Proteção contra incêndios, cadastrados.

“O Corpo de Bombeiros faz muito mais do que apagar incêndios, apesar de ser a primeira coisa que vem à cabeça quando lembramos dessa profissão. Vivemos rodeados por esses heróis, e sendo ajudados por eles em todos os momentos difíceis e muitas vezes nem os notamos.

“Aquele que não usa capa e ainda assim aparece voando, em asas de anjo para nos salvar. Eles não medem esforços doam suas vidas se preciso for, para socorrer uma vítima, sufocam-se na fumaça para levar o oxigênio até o socorrido, entram nas labaredas incandescentes do inferno sem bater na porta, mesmo que a vítima seja um animal, porque eles não escolhem criaturas, eles salvam vidas”.

Sandra ressalta que, ser bombeiro é mais do que realizar uma missão, “é eternizar momentos com sentimentos, é escolher ir para o frio vento e chuva, ao invés de ficar a lareira em uma noite de inverno. É escolher correr riscos e enfrentar o perigo e o medo, ao invés de ficar no conforto e segurança do lar. É também acalmar com palavras, carinho e sorrisos, é transmitir segurança e tranquilidade, é salvar desconhecidos com o mesmo carinho com que se abraça um amigo, é contrariar o desespero dos outros, contendo as suas próprias lágrimas”.

“Sei que, de algum tempo para cá, a luta pela sobrevivência da corporação tem sido árdua, não por falta de interesse de seus integrantes ou dirigentes imediatos, mas pela falta de uma política séria que encare as atividades desses bravos soldados com o respeito que eles merecem do Governo, tanto local quanto federal”.

Parlamentar lamenta que algumas pessoas enxergam apenas o lado bonito e glamoroso de ser bombeiro, mas talvez não pensem em como é difícil se manter sempre bem, vivenciando tantos perigos. ”Gostaria de dizer, mais uma vez, do respeito e da admiração que tenho por esses homens do fogo e atiçar em seus corações aquela faísca que dá continuidade à vida. O bombeiro é um herói duas vezes, pois além de salvar vidas, também se mantém de mente sã, para continuar o seu trabalho”, finaliza.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.