Grupo de Estudos de Educação Física da URI desenvolve novos projetos

O Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física/Educação Olímpica (GEPEF/EO) da URI inicia um novo ciclo de projetos de iniciação científica, através do acadêmico bolsista Rodrigo Krepamski Ribeiro, e de extensão, através da acadêmica bolsista Larissa Tressi.

Larissa Tressi, do 2º semestre do Curso de Educação Física Licenciatura, começou a atuar com as integrantes do projeto Universidade sem Limites. Segundo ela, trabalhar com esse grupo de mulheres é aprender o tempo todo com as experiências e histórias que elas compartilham. “Tenho o objetivo de promover a qualidade de vida e um avanço no trabalho cognitivo das componentes”, revelou.

A primeira atividade foi através do Programa Viva a Vida Saudável, onde foi trabalhada a temática da infância, representado por uma boneca de pano, onde as senhoras integrantes do projeto lembraram e compartilharam suas histórias de infância. “Foi um momento emocionante, através de uma troca de experiências maravilhosa, pois elas estavam muito empolgadas com a aula, divertindo-se e praticando ginástica e brincadeiras. Trabalhamos com a boneca a aula inteira e os olhos delas brilhavam em pegar a boneca no colo e embalando com carinho. Parecia que naquele momento elas estavam realmente revivendo a infância”, disse a acadêmica.

Enquanto isso, Rodrigo Ribeiro começou a trabalhar o projeto de Educação Olímpica com os estudantes dos 4º e 5º anos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Othelo Rosa. O projeto de Educação Olímpica e Atletismo, desenvolvido com 40 alunos do educandário, apresenta ferramentas de ensino-aprendizagem que visam o desenvolvimento da coordenação motora.

Conforme o acadêmico Rodrigo Krepamski Ribeiro, do 4° semestre do curso de Educação Física Bacharelado, “o Programa de Educação Olímpica pode ser desafiador às crianças por meio de atividades práticas e teóricas que envolvem a psicomotricidade, aspectos motores, afetivos, cognitivos e inserindo sempre os Valores Olímpicos que são o respeito, a amizade e a excelência.”

Para o Professor José Luis “Nino” Dalla Costa, que coordena as duas atividades, “os acadêmicos que participam de grupos de estudos, de atividades de extensão e de iniciação científica, como bolsistas ou voluntários, vivenciam experiências significativas para a construção de conhecimentos e que irão nortear e fortalecer suas práticas profissionais”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais