“Marcos Lando é conhecido pelo trabalho, não é candidato Photoshop”, diz presidente do PDT

Empresário, arquiteto e presidente do PDT, Gilmar Fiebig, é o tipo de pessoa que “não foge da raia”, durante as entrevistas. Na manhã desta quarta-feira (15) não foi diferente, durante o programa Estúdio Boa Vista da Rádio Cultura. Afinal, 2020 é ano de eleição e o PDT é gestão no município de Erechim.

Fiebig de largada disse que o partido está se preparando para administrar a cidade nos próximos quatro anos, juntamente com outros partidos e pessoas que possam contribuir com o desenvolvimento. “Desde o ano passado, em reunião do diretório os filiados do PDT deixaram seus nomes a disposição para concorrer. O nome que foi citado como prefeito é de Marcos Lando, esse é o candidato do partido”, afirmou.

O presidente ainda comentou que o PDT não tem animosidade política com nenhum partido, que a busca é por segurança, saúde e um projeto de educação, a principal bandeira da sigla. “O PDT é um partido de formação, grande parte dos políticos que estão em outros partidos nasceram ou, se criaram dentro do PDT, a exemplo de Marcos Lando. Ele é quem está melhor preparado, sempre foi trabalhador, excelente empresário, político, vários mandatos enquanto vereador e com a experiência de gestor público”, elogiou.

Em meio a tantas particularidades de Lando, Fiebig foi questionado sobre o desempenho do partido frente a atual administração. “O PDT esteve muito limitado na gestão com Schmidt, gerando algumas polêmicas. Desde o início da formação da coligação não ficou clara a função do PDT. Então, temos que continuar até o final do mandato jogando as regras que nos foram ditas. Nossa verdadeira aparição foi ano passado, quando identificamos os cargos ocupados pelo partido junto a municipalidade”, exemplificou.

Logo após a reunião com os filiados e identificação de cargos, as aparições do PDT passaram a ser mais notórias, até mesmo em conteúdos encaminhados à imprensa. Mas, para Fiebig, isso tem outros nomes. “As pessoas começam aparecer de duas maneiras, naturalmente pelo trabalho, desenvolvimento, é o caso do Lando. Ou, começam aparecer de forma oportunista, os photoshop da vida. Nesse período pré-eleição vamos encontrar vários candidatos photoshop, aquelas pessoas que começam a preparar-se com uma maquiagem externa, são trabalhados em estúdio e na verdade, o que falta é conteúdo”, finalizou.

Por Carla Emanuele 

Comentários estão fechados.