Professores pensam a transversalidade na Educação Fiscal

A escola tem o papel fundamental na formação dos alunos para que se tornem cidadãos críticos e reflexivos no exercício da cidadania. Para auxiliar na formação desse cidadão, que participa de maneira crítica e reflexiva da sociedade, é necessário, no decorrer de sua vida escolar, proporcionar-lhe acesso à informação, às tecnologias, ao conhecimento e à cultura de modo geral. Nesse sentido, a Comissão do Grupo de Educação Fiscal Municipal realiza  uma ação conjunta entre as Secretarias Municipais da Fazenda e de Educação com temas relacionados a ética e a cidadania que tem por objetivo oportunizar a comunidade escolar conhecimentos sobre a importância dos tributos na atividade financeira do município para a manutenção das políticas públicas e melhorar as condições de vida dos cidadãos erechinenses. A mesma ação também visa potencializar e divulgar o Programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG) e Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Municipais.

Para que os educandos tornem-se interativos e participativos no Projeto Educação Fiscal, o mesmo é desenvolvido  nas Escolas do Sistema Público Municipal de Ensino de maneira interdisciplinar, gerando interação entre alunos, familiares e professores na busca por novos conhecimentos sobre ética e cidadania. Neste ano atípico, há inserção de atividades não presenciais em que os estudantes realizam as mesmas em casa com o apoio da família a partir das orientações dos professores.

[…] A interdisciplinaridade se configura pela participação dos alunos e dos professores nas práticas escolares no momento em que elas são desenvolvidas, e não pelo que foi proposto a priori. Dentro dessa concepção, pressupõe-se uma busca por novas informações e combinações que ampliam e transformam os conhecimentos  anteriores de cada disciplina. Assim, criam-se novos conhecimentos que se agregam a cada uma das disciplinas ou se situam na zona de interseção entre elas, partindo das interações dos sujeitos no ambiente  e de elementos de uma prática comunicativa que eles desenvolvem entre as disciplinas, mas não são necessariamente conhecimentos inerentes às próprias disciplinas que se desenvolvem autonomamente, à revelia dos sujeitos. A interdisciplinaridade assim é analisada na ação dos sujeitos quando  participam, individualmente ou coletivamente, em sistemas interativos. (TOMAZ, 2008, p. 26-27)

O trabalho interdisciplinar gera interação entre alunos e professores e a busca por novos conhecimentos. Para que o mesmo aconteça, é necessário estar atento aos problemas atuais que permeiam a sociedade e aproveitar as perguntas dos alunos para propor atividades e associar diversos conhecimentos à sua formação ligados à Educação Fiscal.

O projeto Educação Fiscal pretende propiciar as condições necessárias para que os estudantes exerçam a cidadania contribuindo com boas práticas de vida em sociedade. Na sociedade somos cidadãos de direitos e deveres, por exemplo, temos o direito à educação, assim como, temos o dever, como cidadãos, de pagar os tributos que contribuem para que essa educação aconteça com qualidade. Dessa forma, contribuindo com impostos, fiscalizando a aplicação do dinheiro público e ajudando a preservar os bens públicos, estamos exercendo a cidadania.

Elton Carlos Piran

Professor na EMEF Paiol Grande e membro da  Comissão do Grupo de Educação Fiscal Municipal

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais