Pedestres e condutores precisam refletir sobre comportamento no trânsito

A região sempre conviveu com um alto índice e acidentes de trânsito e me parece que a quantidade de ocorrências sendo registradas nas últimas semanas, tanto nas rodovias quanto na área urbana de Erechim é assustadora. O alento é que a quantidade de feridos graves e vítimas fatais são baixas, mas creio que se faz necessário que neste momento pedestres e condutores reflitam sobre seu comportamento no trânsito e a importância de preservar a própria vida e de terceiros.

Entre o último sábado e o domingo foram pelo menos quatro acidentes nas rodovias do Alto Uruguai. Nestes foram 12 veículos envolvidos e cinco pessoas feridas sem gravidade. E acima só contabilizei sobre os casos em que recebo avisos de fontes, mas acredito que o número é maior, já que geralmente tem os acidentes atendidos por ambulâncias de outros municípios e os de pequena monta ou feridos sem gravidade, nas rodovias e áreas urbanas, que acabam não chegando ao conhecimento da imprensa ou que a linha de editoria opta por não publicar.

Durante a semana os acidentes continuaram, com capotamentos e colisões nas rodovias e até uma morte no tranqüilo município de Gaurama.

 

Imprudência

Temos um bom número de ruas e rodovias esburacadas, mal sinalizadas, cruzamentos perigosos, pistas desniveladas, mas não é preciso ser especialista para perceber que a grande maioria dos acidentes acontece pela imprudência: o pedestre que surge de repente na rua, cruza a via na diagonal e de costas para o fluxo, atravessa olhando para o celular, a alta velocidade dos veículos, a entrada sem maiores cuidados em cruzamentos, as conversões e saídas do estacionamento sem uma atenção maior para os pontos cegos, o dirigir falando ao celular e ainda em velocidade incompatível com uma manobra de emergência, circular “colado” à traseira do veículo da frente, entre outros.

 

Alan Dias

Comentários estão fechados.