Emater/RS-Ascar acredita numa boa safra de grãos no Alto Uruguai

A expectativa de produtividade da safra das lavouras de soja e milho da região do Alto Uruguai devem se confirmar em relação à previsão inicial do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim.  De acordo com informativo, as lavouras de milho, com 49 mil hectares cultivados, divididos em 33 mil para grãos e 16 mil hectares para silagem, e de soja com área semeada de 243 mil hectares, estão sendo colhidas. As lavouras de milho, até o momento, estão com 60% da área colhida, 10% em enchimento de grãos e 40% maduro para colher. A produtividade, até o momento, de acordo com a Emater/RS-Ascar tem sido de 8 mil kg/ha. Tem produtores colhendo até 13 mil quilos/hectare. No momento os produtores deram uma pausa na colheita do milho para priorizar a colheita da soja.

De acordo com informativo do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim, as lavouras de soja estão com 90% em fase de enchimento de grãos e inicio de maturação fisiológica. A cultura enfrentou um longo de período sem chuvas, mas se mantém a expectativa de produtividade. A produtividade média de 3422 kg/ha, com alguns produtores colhendo 4.260kg/ha. Até o momento a maioria das lavouras se encontram livres de pragas e doenças. A cotação da semana caiu em relação à última semana, fechando em R$ 67,5 a R$ 69,00 a saca, no mercado físico. No mercado de opções chegou à casa dos R$ 72,00 e até R$ 75,00 a saca.

Em relação às lavouras de feijão, a 1ª safra está totalmente colhida com produtividade de 1.760 kg/ha. A previsão para a área de cultivo da 2ª é de 840 hectares.

 

Situação da fruticultura

A colheita de uva na região está encerrada. Segundo a Emater/RS-Ascar, esão em fase de colheita o figo, com maior área de plantio e produção no município de Jacutinga, e o morango, com boa produção e previsão de aumento de área a ser cultivada. Também está em fase de colheita o caqui.

Situação das criações

 

Apicultura: As condições climáticas têm favorecido atividade apícola na região Alto Uruguai. Os dias ensolarados facilitaram a coleta das abelhas. A produtividade de mel está boa. O mel está sendo comercializado pelo produtor por R$ 15,00 o quilo. Preço estável na semana.

  • Bovinocultura de corte: Mercado da carne bovina sem alteração em relação à última semana. Os bovinocultores estão recebendo 4,60 R$/kg. Preço estável na semana.
  • Bovinocultura de leite: As pastagens estão com boa produtividade. Expectativa é de aumento do preço do leite ao produtor. O leite foi comercializado entre 0,65 e 1,30, média geral de 0,90 R$/l. Preço estável na semana.
  • Piscicultura: Aproxima-se a Semana Santa, que é a época mais importante para a comercialização de peixe na região. Piscicultores preparam-se para as feiras municipais ou vendas diretas na propriedade. A maior dificuldade encontrada no Alto Uruguai é na venda de grandes quantidades de peixe. Peixes de espécies maiores como, carpas estão sendo vendidas entre 4,00 e 7,00 R$/kg. Preço estável na semana.
  • Suinocultura: O custo de produção está subindo, enquanto o preço do quilograma do suíno está em baixa, deixando muitos criadores apreensivos. O suíno foi comercializado a 2,80 R$/kg. Produtores não integrados estão recebendo valores um pouco acima. Preço em queda na semana.

Comentários estão fechados.