Oficinas de artes marciais movimentaram Erechim

A atleta e instrutora de Karatê Cristiane Babinski realizou no último mês diversas oficinas de artes marciais para seus alunos vivenciaram e conhecerem outras formas de lutas. O objetivo da atividade foi receber novos conhecimentos, filosofias e técnicas que possam agregar na prática do Karatê, sendo que cada arte marcial tem suas caracteristicas individuais que auxiliam no crescimento do atleta e do praticante de Karatê. A atividade contou com a presença dos professores: Leandro Carlos Ody do Aikidô, Rodrigo da Veiga do Muay Thai, Gerson  Pasquato do Jiu Jitsu, Geovani Dallavechia do Hapkidô e Felipe Losado do Taekowndo.

 O professor de Aikidô Leandro Carlos Ody,  conheceu o Aikido em 2003 quando realizava seus estudos de mestrado em Filosofia na UFSC e abriu a primeira turma de Aikido na cidade. É vinculado ao Instituto Sul brasileiro de Aikido e chegou a faixa preta em dezembro de 2016.

O professor de Muay Thai Rodrigo Augusto Dalla Rosa da Veiga, conhecido como Gugo, iniciou nas artes marciais em 1999 e no fiinal de 2005 conheceu o verdadeiro Muay Thai. Atualmente treina atletas de outros estados, principalmente PR e SC.

O professor de Jiu Jitsu Gerson Pasquato, é faixa marrom de Jiu Jitsu e graduado em  Educação Fisica, é aluno do professor  Júlio Alan Teixeira da equipe Bicudo Schooll Jiu Jitsu e começou a praticar Jiu Jitsu em 2008.

O professor de Hapkidô e Assamco Geovani Delavechia  é  8º Dan, é Instrutor Principal da Escola Delavechia, Presidente da Associação Mestre Delavechia de Asamco, Presidente da Confederação Brasileira de Asamco. Começou a treinar em 1988

O professor de Taekowndo Felipe Losado é Faixa Preta 3º Dan WT/ Chang Moo Kwan. Formado preta em 2001 e profissional da área de Nutrição. Soma diversos títulos como atleta e professor.

A professora Cristiane Babinski comenta “Agradecemos aos professores que se dispuseram voluntariamente a nos repassar seus conhecimentos e ficamos felizes em ver que temos em nossa cidade  uma grande diversidade em artes marciais, acreditamos que a união e o respeito entre as artes marciais sejam essenciais para que juntos possamos continuar sendo um forte interventor educacional, formando não somente atletas mas sim pessoas dignas e honestas.”

 

Comentários estão fechados.