O gaúcho, com coração bota-amarela, que trabalha para abrir portas em 140 países

Pericles Puccini Jr., da Soggiorno Italiano – empresa com sede na Itália, oferece serviço especializado em assessoria para brasileiros de origem italiana que recorrem ao reconhecimento da cidadania

Depois de anos morando em Erechim, terra que viu nascer seus dois filhos, seu pai e seus dois bisavôs, o porto-alegrense Pericles Puccini Jr. é referência, hoje, graças ao trabalho especializado em assessoria para brasileiros de origem italiana que requerem a cidadania, junto à empresa Soggiorno Italiano, com sede na Lombardia.

Morando no Velho Continente desde 2014, Pericles – que está de passagem por Erechim visitando a família e amigos – lembra que já trabalhava com a cidadania italiana no Brasil, quando foi presidente e fundador do Circolo Veronesi di Erechim e vice presidente da FAINORS. Na Itália, em paralelo com seu doutorado, continuou o trabalho, desta vez, diz, de modo mais profissional – a partir da “agenzia sbrigo pratiche”, algo semelhante a um escritório de serviços de despachante.

Saiba mais

No site da empresa http://soggiornoitaliano.it/, há uma série de informações, dicas, caminhos e reportagens que visam tirar as dúvidas daqueles interessados na cidadania italiana. A seguir, a coluna reproduz um destes materiais, produzido pelo www.jornaldooeste.com.br.

‘Estudar, trabalhar e até mesmo começar uma nova vida fora do Brasil tornaram-se possibilidades cada vez mais reais entre os brasileiros, principalmente com a crise econômica e política que assola o país nos últimos anos.

Dados da Receita Federal mostram que mais de 20 mil brasileiros solicitaram a declaração de saída definitiva do Brasil, de janeiro de 2017 até meados do ano passado – número quase três vezes maior do que 2011. Dentre as alternativas legais para migrar para outro país está o reconhecimento da cidadania italiana, que vêm crescendo em virtude de muitos benefícios, como o acesso facilitado em mais de 140 países. Somente em 2016, no Brasil, foram 12 mil pedidos de nacionalidade reconhecidos pela rede consular, segundo o Instituto Nacional de Estatística da Itália (Istat).

Considerado um dos passaportes mais poderosos do mundo, o passaporte italiano oferece inúmeras oportunidades, como visto de trabalho facilitado, custos menores para estudo internacional e moradia, além de muitos benefícios legais concedidos pelo governo italiano, esteja o cidadão na Itália ou em países da União Europeia como França, Alemanha, Irlanda, Espanha, Portugal, entre outros. Dentre os países que mais oferecem benefícios aos seus cidadãos, a Itália aparece dentre as primeiras posições, junto dos EUA, Reino Unido, França, Coreia do Sul, Alemanha e Suécia.

Os números são de uma pesquisa feita pela Henley & Partners com 219 países e territórios. “Viver legalmente em outro país com o auxílio da nacionalidade europeia é uma oportunidade inquestionável, especialmente com a globalização dos empregos e estudos e uma recessão que vem deixando muitos brasileiros preocupados com o futuro”, afirma Péricles Puccini Junior, da Soggiorno Italiano.

O escritório, localizado na província de Brescia, Lombardia, no Norte da Itália, é especializado em assessoria para brasileiros de origem italiana que recorrem ao reconhecimento da cidadania como alternativa para migrar para outro país. Há três anos morando na Itália com a família, Puccini trabalha com assuntos relacionados à cidadania italiana desde 2010.

Hoje é possível reconhecer a cidadania italiana de duas formas: no Brasil e na Itália. Aqueles que optam pelo Brasil podem esperar em média até 12 anos para que o processo seja concluído, visto que a fila de espera é grande e a capacidade de atendimento dos consulados é pequena, se comparada à demanda. Já aqueles que querem um processo mais rápido optam pelo reconhecimento diretamente na Itália, que dura em média de 60 a 120 dias, geralmente com o apoio de assessores para auxiliar no processo.

“Apesar de ser um direito de quase todos aqueles que têm descendência italiana, faltam informações para os interessados em iniciar o processo, que não é simples e pode durar muito tempo se feito no Brasil. Muitos ainda acreditam que reconhecer diretamente na Itália pode ser “custoso demais e quase impossível”, pondera Puccini.

Sobre o valor, o gaúcho explica que, diferente do que muitos pensam, é acessível, ainda mais se visto como um investimento.

Aos interessados, a equipe da Soggiorno faz atendimento via e-mail e Skype, analisa de maneira gratuita os documentos necessários bem como orienta passo a passo para iniciar o processo. Caso o serviço seja contratado, o interessado viaja até a Itália e recebe todo o acompanhamento ne-cessário durante a estadia e também para os trâmites burocráticos, até o reconhecimento da cidadania italiana.

O processo pode ser feito ainda de maneira autônoma, diretamente pelo interessado, desde que haja um bom conhecimento do idioma italiano e da legislação sobre o processo. Também é importante conhecer o comune em que escolheu residir e estar preparado financeiramente para o período em que ficará na Itália, pois não é permitido trabalhar no país enquanto o processo é realizado.

Por Salus Loch

1 comentário
  1. […] O gaúcho, com coração bota-amarela, que trabalha para abrir portas em 140 países […]

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.