Evento marca o início das obras da PCH Forquilha IV Luciano Barancelli

A união de cooperativas de energia e empresários de Erechim viabilizou a construção de uma nova usina na região norte do Estado

A PCH Forquilha IV Luciano Barancelli, localizada no rio Forquilha, entre os municípios de Maximiliano de Almeida e Machadinho vai começar a ser construída.  Com potência instalada de 13 MW e custo estimado em R$ 74 milhões, o empreendimento é formado pela sociedade entre as cooperativas Creral de Erechim, Ceriluz de Ijuí, Coprel de Ibirubá e a empresa Erechim Energia.

 

O ato de lançamento das obras aconteceu na sexta-feira, dia 10, com a presença de cerca de 150 pessoas entre presidentes, diretores e conselheiros das cooperativas, empresários, prefeitos, vereadores e autoridades dos municípios de envolvidos.

 

O presidente da Creral que será a gestora da obra, Alderi do Prado, informou que as obras começam pela supressão da vegetação, abertura dos acessos e montagem do canteiro de obras. Alderi apresentou também os sócios da usina e as empresas contratadas para obras civis, monitoramento ambiental, fabricação e montagem de equipamentos. O dirigente enfatizou a importância do investimento, pois grande parte do que a obra vai precisar será adquirido na região, movimentando o comércio, a prestação de serviços e a mão de obra. “Acima de tudo nosso interesse é contribuir com o desenvolvimento local”, destaca Alderi.

 

A prefeita de Maximiliano de Almeida, Dirlei Bernardi dos Santos, destacou a satisfação de receber o terceiro empreendimento hidrelétrico no município que é essencialmente agrícola. Para o prefeito de Machadinho, Hamilton Centeghe, a nova usina é bem-vinda, pois vai contribuir para a ampliação do turismo que já é uma realidade.

 

Durante a solenidade de início das obras, o superintendente do BRDE agência de Porto Alegre, Maurício Mocelin, anunciou a aprovação do financiamento de R$ 40 milhões para construção da usina. O presidente do Sicredi Norte RS/SC, Adelar Parmegiani também anunciou a liberação de crédito no valor de R$ 10 milhões.

 

Com previsão de ficar concluída até o primeiro semestre de 2020, a pequena central hidrelétrica terá um barramento de 300 metros de comprimento e 8 metros de altura, área de alago de 41 hectares e canal de adução de 530 metros. A casa de força contará com três turbinas e a energia gerada será lançada no sistema interligado nacional por meio de uma linha de transmissão de 8,7 km.

 

Em 2017 o empreendimento foi um dos vencedores do leilão de energia A-6 realizado pelo governo federal, com entrega prevista para 2023 por um período de 30 anos.

 

Comentários estão fechados.