Gaurama antecipa programação do Dia de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Atividades alusivas à data serão realizadas na terça-feira, dia 14

Com o objetivo de conscientizar, sensibilizar e informar a população sobre a gravidade da violência sexual infanto-juvenil, o dia 18 de maio foi instituído o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em Gaurama, as atividades alusivas à data serão realizadas na terça-feira, dia 14.

O evento é aberto ao público e será realizado na praça central Carlos João Busanello na parte da manhã e tarde. Se chover, as ações serão transferidas para o Ginásio Esportivo Municipal  Vereador Guilherme Francescom. Teatro, palestras, exposição de trabalhos, práticas esportivas, são algumas atividades que serão realizadas.

“Esse assunto normalmente desperta repulsa e emoções intensas e nós enquanto representantes do Poder Público não podemos fechar os olhos para uma realidade que bate à porta da nossa comunidade. Essa data é um alerta para o problema, mas nós desenvolvemos atividades voltadas à prevenção do abuso e exploração sexual infanto-juvenil o ano todo”, informa o prefeito de Gaurama, Leandro Márcio Putton.

O vice-prefeito, Elias Seibt, destaca que as atividades são multidisciplinares. “Por ser um assunto delicado, nossas secretarias de Educação, Assistência Social, Saúde, estão engajadas e preparadas para orientar e realizar ações, caso seja constatado abusos e exploração”.

A psicóloga Marlene de Paula, que atende junto ao CRAS (Centro de Referência de Assistência Social e junto à Secretaria de Educação) faz alerta aos pais que a primeira manifestação das crianças e adolescentes  quando algo não está bem, é a mudança de comportamento. “A sexualidade é um tabu para muitos pais, por isso, estamos à disposição das famílias para ensiná-las a tratar sobre os mais variados assuntos com uma visão profissional que, certamente, fará a diferença nas relações entre pais e filhos”, diz.

No Brasil, conforme dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF, a violência sexual é a quarta violação mais frequente contra crianças e adolescentes de 0 a 17 anos, especialmente do sexo feminino. 31% das denúncias referem-se a vítimas de 12 a 14 anos; 20% a adolescentes entre 15 e 17 anos; e 5,8% a crianças entre 0 e 3 anos

Além da prevenção, o combate a essa realidade exige que os casos sejam denunciados. Portanto, se souber de algum caso de violência sexual infanto-juvenil, procure o conselho tutelar, delegacias especializadas, o CRAS, a escola, Unidade Básica de Saúde (UBS), polícias (militar, federal ou rodoviária), ou então, ligue para o Disque Denúncia Nacional, de número 100. Você pode agir. Proteja nossas crianças e adolescentes.

 

Comentários estão fechados.