Fracasso nos primeiros eventos do centenário

I

Havia promessa da atual administração de que todos os eventos que envolviam as comemorações do centenário de Erechim seriam marcantes, como nunca visto em nossa cidade e região. Mas até o presente momento, apesar das boas intenções do prefeito, todos os eventos pré-agendados fracassaram de alguma maneira.

O primeiro, para aquecimento das festividades do centenário foi o Erechim é Massa, que talvez tenha sido o único a reunir um bom público, embora tenha contado com boa participação de CCs, FGs, associados da ACCIE e pessoas ligadas a partidos que fazem parte da atual administração. Até agora ainda não se sabe qual foi o resultado final do evento, mas há quem diga que teria dado prejuízo de aproximadamente R$ 12 mil.

II

O show do Padre Fábio de Melo, que seria o grande evento para abertura do centenário, acabou sendo suspenso, ou melhor, adiado para abril, supostamente por falta de apoio e de interesse do grande público de Erechim e da região. Até acho que transferir foi o mais correto diante do alto valor cobrado.

Segundo o prefeito Luiz Francisco Schmidt, a Festa da Uva seria outro grande evento que marcaria a abertura do ano de nosso centenário, mas a mesma acabou sendo suspensa, sem maiores explicações da administração municipal, nem dos produtores de uva ou do próprio SUTRAF.

Com relação ao Natal, segundo prometido pelo prefeito e seu vice, durante a campanha, seria um evento marcante para a população erechinense e regional, mas quando o governo se deu por conta já estávamos às vésperas da data e não havia mais tempo para organizar o evento. Sem muitas opções, correram em busca de parcerias e acabaram repassando o “abacaxi” para a CDL, caso contrário, muito provavelmente, não aconteceria nada. Aí o resultado foi este que a população acabou vendo, por falta de tempo para organizar algo melhor. Resumiu-se a dois bons shows e nada mais. Não por culpa da CDL, mas sim da incapacidade da equipe responsável pelo planejamento da atual administração na organização do Natal.

III

Fica a impressão de que a atual administração não teve nenhum planejamento para o centenário de nosso município. Até parece que existe uma “maldição” envolvendo os eventos do centenário de Erechim.

Até a ideia de se fazer uma das maiores FRINAPEs da história de nossa cidade fracassou, mas neste caso sabemos o que aconteceu, acabaram surgindo duas feiras para o mesmo ano. Uma organizada pela prefeitura, a Festa Feira do Imigrante, e a FRI-NAPE, organizada pela ACCIE.Daqui para frente, o governo deveria concentrar todas suas forças na Festa Feira das Nações, para recuperar o terreno perdido. Faltando pouco menos de quatro meses para a realização deste grande evento, ainda não se tem nenhuma informação sobre o que de fato vai acontecer nele.

IV

Se a Festa Feira do Imigrante não contar na organização com os secretários Altemir Barp e o Roberto Fabiane, penso que mais um evento do centenário pode vir a fracassar, mas como sou bastante otimista, ainda acredito que teremos uma grande festa no mês de abril. Porém, como será a nossa tradicional FRINAPE, já que dentro de um espaço de cinco meses devem acontecer duas feiras no mesmo local?

Quando questionado em entrevista para a Rádio Cultura, se haveria recurso para as duas feiras, o prefeito garantiu que dinheiro não vai faltar para os dois eventos.

Por Egidio Lazzarotto

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais