Centenas de lâmpadas florescentes descartadas incorretamente

Antiga Selva das Águias também é ponto de descarte

Erechim é conhecido por um problema que não é novo, tampouco desconhecido, o descarte irregular de lixo. Por mais que o tema seja debatido nos meios de comunicação, diversas vezes nas páginas do Boa Vista, campanhas sejam realizadas e se insista na conscientização, pessoas continuam descartando onde bem entendem.

Alguns pontos têm se transformado aos poucos em verdadeiros lixões a céu aberto, algo incompreensível diante de todos os impactos. Acesso aos bairros, vias com maior incidência de vegetação e menor número de residências, estão entre os preferidos. Lixo de todo tipo, dentre eles, roupas, calçados, dejetos, móveis, eletros, resíduos e entulhos de construções, fazem parte do cenário preocupante.

No entanto, no início do ano, outra reclamação tomou conta das redes sociais e virou assunto nos bairros Esperança e Zimmer, o descarte de centenas de lâmpadas florescentes. Se eu não tivesse presenciado a montoeira na Av. Tiradentes, diria que até que era uma mentira tamanho ‘bochincho’.

Picape que continha lixo doméstico

O trecho da avenida que liga os dois bairros é de chão batido e já foi alvo dos mais diferentes descartes e denúncias.

Recipientes com produtos tóxicos, equipamentos eletrônicos, colchões e desta vez, centenas de lâmpadas. Os moradores dizem que o curto trajeto entre os bairros é horrível e por vezes, já tentaram buscar pistas dos responsáveis.

Já avistaram veículos pa-rando, inclusive uma picape que continha lixo doméstico, mas nunca conseguiram em tempo hábil fotografar a placa ou coletar informações precisas para concluir uma denúncia.

Antiga Selva das Águias também é ponto de descarte

Conforme o setor de fiscalização da secretaria do Meio Ambiente, o caso foi apurado, mas até o momento, não foi possível identificar a procedência e o mesmo aconteceu na BR 153, antiga  Selva das Águias. Lá, a quantidade de lâmpadas também é expressiva.  Ainda informaram que estão analisando o caso, bem como o destino adequado, já que a secretaria não tem por competência o recebimento do material.

Desde a lei 12.305/2010, que tramitou por mais de 20 anos no congresso nacional, o descarte de lâmpadas e equipamentos eletroeletrônicos possui novas normas. Segundo a lei, os locais de comércio destes materiais ficam obrigados a receber os produtos vendidos, para que sejam remetidos de volta à empresa fabricante. Estes materiais, não são coletados pelo serviço de coleta de resíduos contratado pela prefeitura de Erechim.

Por Carla Emanuele

 

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.