Com discurso de pré-candidato, Polis mostra habilidade e fala sobre 2018

A entrevista com o ex-prefeito Paulo Polis na última terça-feira, 07, no programa Estúdio Boa Vista da Rádio Cultura, mostrou porque ele é um político distinto. Ele é habilidoso, cauteloso e respeitoso com os correligionários e até mesmo, com os adversários políticos. Enquanto alguns têm a necessidade de falar mal dos seus oponentes para serem notados, Polis anda na contramão e faz questão de valorizar a história e os responsáveis pela sua construção, mesmo que no seu íntimo tenha algumas divergências.

O cenário atual no município seria um prato cheio para que ele abrisse a artilharia contra a municipalidade. Aliás, motivos não faltam. Porém, ele prefere deixar de lado os problemas do governo Schmidt e focar em uma candidatura regional a deputado federal. Polis destacou que a região está vendo o cavalo encilhado passar, e que a população precisa olhar com carinho para uma candidatura no Alto Uruguai. Ele quer ser este candidato, mas se não for, que seja outro. A região não pode ficar refém de algumas emendas parlamentares de deputados de fora.

Outro ponto importante que foi levantado pelo ex-prefeito, é a Transbrasiliana. Qual deputado federal vai levar está bandeira adiante? Se não for da região, não haverá luta. Outro exemplo citado por Polis é a situação da Fundação Hospitalar Santa Terezinha. Quem vai trabalhar pela saúde senão um deputado nosso? Os prefeitos da região quando chegam em Brasília, sequer são recebidos pelos deputados. A maioria é recebido por assessores. Ter um deputado no Congresso Nacional, é ter referência e voz na capital. Não sei se o ex-prefeito será candidato em 2018, mas a entrevista deixou claro que vontade não falta.

Por Fabio Lazzarotto

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais