Captação de órgãos é realizada no HC

O Hospital de Caridade de Erechim realizou na madrugada de sábado, 12, procedimento para captação de órgãos de um homem de 58 anos que teve morte encefálica constatada às 14h25min de sexta-feira, 11.

Graças ao gesto de amor dos familiares do doador – que fizeram valer a vontade dele, manifestada em vida – foram retirados o fígado, os rins e os pulmões, que, agora, poderão salvar outras pessoas.

A captação dos órgãos, coordenada pela Central de Transplante do Estado, foi feita por duas equipes da Santa Casa de Porto Alegre, lideradas pelos médicos Guillermo Ermo Kiss e Eduardo Fontena. A ação contou com apoio técnico de diversos profissionais do HC, entre médicos, psicólogas, enfermeiras, técnicos de enfermagem e do setor administrativo da instituição.

Desde 2002
Há 17 anos o HC conta com uma Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes – CIHDOTT. Neste período, já foram realizadas 11 captações.

Exemplo a ser seguido
Os procedimentos para viabilizar a captação dos órgãos iniciaram a partir da manifestação da família do doador, especialmente de seus três filhos, ainda na tarde de sexta-feira. Conforme os irmãos do doador, ele sempre se preocupou em ajudar o próximo. ‘Em vida, nosso mano sentia-se bem quando podia ajudar alguém. Não seria diferente agora’ resumem. Para os familiares, saber que os órgãos do irmão deverão salvar outras vidas é reconfortante. ‘Esperamos que o exemplo dele inspire mais pessoas’, completam.

Destino certo
As equipes da Santa Casa chegaram ao aeroporto Comandante Kraemer, em Erechim, por volta das 2h da madrugada de sábado e decolaram cerca de três horas depois. Conforme o médico Guillermo Ermo Kiss, tanto o fígado quanto os pulmões seriam prontamente transplantados a pacientes na UTI da Santa Casa.

Agradecimento
O Hospital de Caridade de Erechim agradece o ato solidário da família, permitindo a chance de uma nova vida para os beneficiados. De acordo com as psicólogas do HC, Sabrina Brusco e Carina Balvedi Leandro , da CIHDOTT, o gesto dos familiares foi de extrema generosidade. Elas enfatizam, também, a necessidade de que as pessoas discutam em casa a respeito do tema, uma vez que só a família pode autorizar a doação.

Já a coordenadora do CIHDOTT, enfermeira Miriam Sbardelotto, destaca o trabalho da equipe multidisciplinar do HC, que atuou com dedicação e profissionalismo, merecendo o reconhecimento dos profissionais da Santa Casa.

A CIHDOTT

Integrada por uma equipe multidisciplinar de médicos, psicólogas, enfermeiras e administrativo, a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes – CIHDOTT do HC tem como papel fundamental atuar na conscientização das pessoas quanto à importância da doação de órgãos e tecidos, e, por este motivo, realiza regularmente palestras em escolas, instituições de saúde e empresas.

Comentários estão fechados.