Julho termina com mais de três quilos de drogas apreendidas em Erechim

O número de traficantes presos nas últimas semanas em Erechim tem destacado não apenas o trabalho da polícia, mas também a quantidade de drogas que circula pelo município. “É um pouco assustador”, disse um policial em recente conversa que tivemos sobre as seguidas apreensões de entorpecentes.

Outro ponto que chama atenção nas recentes apreensões é um aparente crescimento na quantia de cocaína, droga que é também conhecida por ser consumida por um público de maior poder aquisitivo. Só para se ter uma ideia, apenas no mês de julho, a polícia apreendeu 90 buchas da droga já embaladas e prontas para venda, além de outros dois quilos e 99,5 gramas de pasta base para cocaína, que para venda, seria misturada com outras substâncias, o que gera maior quantidade de doses e aumenta consideravelmente o lucro para os traficantes.

Durante o mês também foram apreendidas mais de 985 gramas de maconha, aproximadamente 230 pedras de crack e cerca de R$ 23,7 mil em dinheiro e cheques, além de armas e munições. Isso sem contar nas dezenas de porções de entorpecentes que foram encontradas durante revistas de rotina e registradas como posse de drogas e não tráfico.

No mesmo período, pelo menos 10 pessoas foram presas por tráfico de drogas e dois adolescentes foram apreendidos. E o mês de agosto não iniciou muito diferente.

Na visita do secretário da Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, a Erechim, no último dia 25 de julho, o mesmo ressaltou que no mundo, o Brasil já é o segundo maior consumidor de cocaína e o primeiro em crack e maconha. “A droga já chegou a todos os municípios e não só na área urbana, também lá nos confins das zonas rurais. E com o tráfico, vem a violência e os homicídios”, ressaltou o secretário durante reunião com os prefeitos da AMAU.

 

Por Alan Dias

Comentários estão fechados.