PP de Erechim precisa realizar um retiro espiritual

O Partido Progressista de Erechim depois do vexame nas últimas eleições, tem que urgentemente reunir seus filiados para um profundo “retiro espiritual”. Em função dos ranços internos, nas últimas duas eleições os resultados foram melancólicos. Na última eleição municipal pela teimosia de alguns líderes do partido, conseguiram eleger apenas um vereador e por detalhe, não ficaram sem ninguém.

A vereadora Eni Scandolara, só conseguiu se eleger pelo bom trabalho que tem na comunidade e principalmente na terceira idade. Nesta eleição para deputado ouve mais uma vez o ranço, muitos preferiram apoiar candidatos de outra região do que votar nos candidatos Carlos Pomagerski para federal e Kaká Cofferi, estadual. O resultado foi uma votação pífia.

Se os progressistas não se reunirem e lamber as próprias feridas, a legenda corre um sério risco de na próxima eleição não eleger nenhum vereador. Não foi por falta de aviso, por várias vezes falei que se o PP não acabar com o ranço e autoritarismo de alguns líderes, a legenda corre sério risco de desaparecer. Volto a reafirmar, Erechim precisa do PP seja no executivo ou no legislativo, mas sem ranço.

Por Egidio Lazzarotto

 

Comentários estão fechados.