Colégio Franciscano São José: Filosofia com crianças educando para o pensar

Pensar é uma atividade humana por excelência, cabendo à escola proporcionar uma educação que promova um pensar plural, de qualidade e significando os saberes. Tais significados são encontrados por meio do diálogo que vai muito além de um simples bate-papo. Aprender a conversar exige aprender a ouvir e a se expressar de modo coerente.  A Filosofia desenvolve a habilidade dialógica que transforma os estudantes em agentes inteligentes, autônomos, responsáveis e comprometidos para emitir juízos de valor corretos e razoados.

Para a filósofa Cleci Luisa Lovera, não há dúvida de que as crianças podem pensar por si mesmas a respeito de qualquer tipo de assunto. De qualquer forma, porém, as crianças precisam ser guiadas para que possam iniciar o processo de entender as várias maneiras de pensar e possam obter critérios para desenvolver o pensamento crítico. A criança deve ser incentivada a pensar sobre que tipo de pessoa gostaria de ser e em que tipo de mundo gostaria de viver.

De acordo com a professora Anna Luiza Pereira, diálogo é a peça chave. Incentiva-se a escuta, a compreensão e a importância das diferentes opiniões. “Entremeio a estas questões utilizamos o livro como recurso, afinal quem decide os temas da roda de conversa são os próprios estudantes”, explica.

A professora Cristiane Haagsma destaca que o fazer pedagógico tem na Filosofia um aliado indispensável, pois além de auxiliar a criança a ouvir com atenção o seu colega e a elaborar o seu próprio pensamento para expressar suas ideias com clareza, a conduz no sadio ato de confrontar opiniões de maneira organizada. Dos debates das aulas de Filosofia surgem inúmeros temas a serem pesquisados, discutidos e aprofundados, resultando em uma interdisciplinaridade com todas as áreas do conhecimento.

A iniciativa tem dado tão certo que já caiu no gosto dos estudantes. Augusto Ricardo Campos revela que “a Filosofia faz a gente pensar, conversarmos sobre vários assuntos e ouvirmos a opinião de todos”. Já a estudante aluna Alana Pitol Krzizaniak conta que a iniciativa despertou uma nova paixão, “amo Filosofia. É muito legal saber a opinião dos outros e saber de onde as coisas vêm”, declara a estudante. Essa mesma paixão foi descoberta por Lorenzo Palhano que diz: eu amo aula de Filosofia. Aprendemos mais, pensamos mais e temos mais ideias.

 

Comentários estão fechados.