Renan Soccol sugere que doadores de medula óssea fiquem isentos de taxas de inscrição em concursos municipais

Não é de hoje que são realizadas inúmeras campanhas com o objetivo de conscientizar a população acerca da importância da doação de medula óssea. Capaz de salvar vidas de portadores de doenças hematológicas, o transplante deste tecido só não é mais realizado no Brasil devido à oferta, consideravelmente inferior à demanda. A fim de tentar amenizar este problema no âmbito municipal, o vereador Renan Soccol (PSDB) apresentou, durante a sessão ordinária da última segunda-feira (9), um pedido em que sugere ao Executivo a criação de uma lei que isente da taxa de inscrição em concursos públicos municipais pessoas cadastradas no Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (Redome). A solicitação foi aprovada por unanimidade entre os parlamentares.

Como são cada vez mais frequentes as demandas por transplantes de medula óssea, Soccol entende como extremamente necessária a realização de alguma medida que beneficie as pessoas que aguardam por uma solução rápida em seus casos. “A questão chave está em expandir de forma consciente e sistemática o número de doadores. Esta proposição objetiva oferecer mais uma alternativa de estímulo para ampliar o cadastro e captação de doadores deste tecido”, explica o edil, ressaltando que hoje, cerca de 1200 pessoas esperam pelo transplante no país.

Paralelo a isso, está o fato de que também tem crescido o número de pessoas que realizam concursos públicos no Brasil – algo que, de acordo com o vereador, pode acabar gerando um estímulo a mais, além da oportunidade de salvar uma vida. “Atualmente, milhões de brasileiros estão envolvidos no processo de concursos públicos. Trata-se de uma oportunidade relevante de estimular, pela isenção da taxa de inscrição, os que realizam concursos a se tornarem doadores de medula óssea. Essa medida pode ter um impacto significativo para a redução do déficit de doadores”, enfatiza Soccol.

Comentários estão fechados.