Ações estratégicas e parcerias reforçam a segurança em Erechim

No último dia 01 de março, o comandante do 13º Batalhão da Brigada Militar, tenente coronel, Eliel de Souza Roque, reuniu a imprensa para falar sobre os programas de segurança desenvolvidos em Erechim. Da coletiva também participaram o sub-comandante do 13º BPM, major Uilson Cecconello, o responsável pelo policiamento ostensivo no município, capitão Adair Couto, e o presidente do Consepro, Miguel Gotler.

Segundo os oficiais, apesar das dificuldades enfrentadas pelos órgãos de segurança, Erechim ainda consegue se manter uma cidade com baixos índices de violência, se comparado com outros municípios de mesmo porte no Estado, e como principais fatores para isso, apontam as ações estratégicas implantadas pelo batalhão e o trabalho integrado com a Polícia Civil e outros órgãos, como Ministério Público e Judiciário.Sistema Avante

Em 2016 a Brigada Militar implantou o Sistema Avante, que busca centrar em três eixos: gestão, tecnologia da informação e parcerias. No Alto Uruguai o comando buscou tornar suas ações mais visíveis para a comunidade, conseguiu que o governo transferisse 31 policiais militares para a região, além de ter recebido permissão do governo para utilizar cinco brigadianos da reserva para atuarem no monitoramento das câmeras do Projeto Sentinela. Também foi obtida a liberação de horas-extras, para ampliação de turnos de trabalho, mantendo assim um policiamento ostensivo reforçado.

O reforço dos 36 policiais não foi suficiente para acabar com o déficit de efetivo no batalhão, que atende 37 municípios, principalmente se levarmos em conta as aposentadorias ocorridas no ano passado, mas está possibilitando ampliar o trabalho que busca reduzir o tempo de resposta nas ligações que chegam ao telefone de emergência, 190.

Outros dois programas importantes que estão sendo desenvolvidos pelo 13º BPM são os Núcleos de Polícia Comunitária, que aproxima a comunidade da corporação e alcançou um aumento no número de denúncias; e as Patrulhas Maria da Penha, que realizam visitas às vítimas para saber se as medidas protetivas estão sendo cumpridas.

Parcerias e repressão qualificada

Dois fatores que os oficiais fazem questão de destacar é o trabalho em parceria com outros órgãos e as ações dos setores de inteligência. O batalhão criou um mapa de “calor”, que mostra os pontos onde mais ocorrem delitos em Erechim, dias e horários. “Assim conseguimos direcionar o policiamento e colocamos o policial onde ele deve estar”, explica o comandante.

O tenente coronel ressalta ainda a integração “muito boa” com a Polícia Civil. Para o presidente do Consepro, Miguel Gotler, Erechim é o único município onde “os policiais são integrados de fato e de direito”.

Uma iniciativa da Polícia Civil regional, bastante elogiada pelo comando do 13º BPM, é a de aumentar o número de policiais no plantão em datas festivas e de maior movimentação no comércio, o que possibilita acelerar os registros de flagrantes e permite que o policial militar retorne para a rua de forma mais rápida.

Os oficiais citam ainda o trabalho do Ministério Público, que tem conseguido levar todos os acusados a júri e obtido alta porcentagem de condenações e também elogiam o Judiciário pela postura e envolvimento nas demandas necessárias para a segurança pública da região.Reuniões e operações

Segundo o comandante Eliel, o município sempre foi um grande apoiador das ações na área de segurança pública e desde dezembro do ano passado o batalhão vem mantendo reuniões com órgãos e secretarias para o desenvolvimento de operações que focam em reduzir as ocorrências de perturbação do sossego e a questão de menores ingerindo bebidas alcoólicas. “É realizada uma reunião e uma operação por mês. Estabelecimentos estão sendo fechados, pessoas estão sendo responsabilizadas”, afirma.

Sobre a perturbação do sossego, o major Uilson cita que as medidas possíveis estão sendo adotadas, mas que a própria Legislação não permite que se avance mais na questão.

Em operações e patrulhamento de rotina em 2017, policiais do batalhão abordaram em Erechim uma média de 3.500 pessoas/mês e 1.500 veículos/mês.

Projeto Sentinela

A implantação das câmeras de vídeomonitoramento em Erechim, de acordo com o comando do 13º BPM, tem alcançado excelentes resultados e será ampliado ao longo deste ano.

Segundo o presidente do Consepro, foram adquiridos mais 19 mil metros de cabos de fibra ótica, através de verba liberada pelo município, e agora as entidades estão trabalhando para a aquisição de novas câmeras. As negociações já estariam bastante avançadas e em um primeiro momento seriam adquiridos pelo menos 23 novos equipamentos de vigilância.

Por Alan Dias

Comentários estão fechados.