“É inadmissível em pleno verão ficar três dias sem água”, afirma promotora Karina Denicol

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O anúncio da suspensão do fornecimento de água pelo período de três dias feito pela Corsan na sexta-feira (8), acarretou em intervenção do Ministério Público. “É inadmissível em pleno verão ficar três dias sem água, trata-se de um serviço público essencial, entramos em contato com a Corsan para que prestasse esclarecimentos”, afirmou a promotora de Justiça de Erechim, Karina Denicol.

Segundo ela a Corsan afirmou não possuir gerador, com isso, foi instaurado um procedimento de investigação e exigido que providências sejam tomadas. Karina disse que de acordo com o que for apurado, poderá ser ajuizada inclusive uma ação pública contra a companhia.

Por Da Redação.

 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais