“É inadmissível em pleno verão ficar três dias sem água”, afirma promotora Karina Denicol

O anúncio da suspensão do fornecimento de água pelo período de três dias feito pela Corsan na sexta-feira (8), acarretou em intervenção do Ministério Público. “É inadmissível em pleno verão ficar três dias sem água, trata-se de um serviço público essencial, entramos em contato com a Corsan para que prestasse esclarecimentos”, afirmou a promotora de Justiça de Erechim, Karina Denicol.

Segundo ela a Corsan afirmou não possuir gerador, com isso, foi instaurado um procedimento de investigação e exigido que providências sejam tomadas. Karina disse que de acordo com o que for apurado, poderá ser ajuizada inclusive uma ação pública contra a companhia.

Por Da Redação.

 

Comentários estão fechados.