Laboratório de Solos da URI tem Conceito A e recebe certificação

            A URI Erechim acaba de receber uma grande notícia que interessa a toda região, especialmente a área do agronegócio. A partir de 2020, a Universidade contará com um laboratório credenciado junto à Rede Oficial de Laboratórios de Análises de Solo e Tecido Vegetal do Rio Grande do Sul e Santa Catarina (ROLAS).

        Será através do Laboratório de Solos, vinculado ao Curso da Agronomia, que foi aceito para participar da Rede após um intenso ano de análises, que culminaram com a certificação do laboratório, o único da região do Alto Uruguai a obter a certificação de qualidade para análise química básica e de micronutrientes.

        Como resultado das avaliações semanais realizadas pela Rede durante todo o ano de 2019, o Laboratório de Solos da Universidade foi classificado com o Conceito A, tanto para análises básicas de solo como para micronutrientes, demonstrando uma exatidão elevada nas análises.

        O Coordenador da Central de Análises e responsável técnico do Laboratório de Solos, professor Jardes Bragagnolo, enfatizou que “este resultado vem confirmar a qualidade com que o laboratório realiza as análises e mostra o comprometimento da Universidade com a comunidade, entregando resultados com qualidade e confiabilidade”.

        A partir do início de 2020, o Laboratório estará utilizando o selo de certificação de qualidade expedido pela Rede e estará disponibilizando, além das análises de solo, análises de tecido vegetal e de composto orgânico, visando auxiliar ainda mais os produtores e técnicos da região no melhor manejo das lavouras.

        As análises de solo são de extrema importância para as propriedades rurais uma vez que elas revelam as características do solo, assim como as análises de sangue podem revelar a saúde das pessoas. Com base nestas informações, os produtores podem planejar melhor suas lavouras, verificando a disponibilidade de nutrientes para as plantas, realizando investimentos nos fertilizantes de forma mais assertiva, evitando-se a falta de nutrientes ou o excesso dos mesmos, que proporcionariam um desbalanço nutricional, queda de produtividade e impacto financeiro da atividade.

Comentários estão fechados.