Curso de Direito da URI comemora 10 anos do Projeto Ecocidadão

         O Curso de Direito da URI Erechim está comemorando 10 anos do Projeto Ecocidadão que tem como objetivo realizar viagens de estudos semestrais em Usinas Hidrelétricas e conhecer os projetos sobre a conservação do meio ambiente. Nessa década, o projeto já mobilizou 778 acadêmicos com visitas às Usinas Itá, Passo Fundo, Itaipu Binacional e o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, onde estão o Parque das Aves e o Ecomuseu.

        A viagem que marcou o encerramento desse ciclo aconteceu nos dias 23 e 24 de novembro último em Foz do Iguaçu, quando os 53 acadêmicos das turmas 2015 (diurno e noturno) visitaram também alguns locais da Argentina e Paraguai. Eles foram acompanhados pelas professoras Vera Maria Calegari Detoni, da disciplina de Direito Ambiental e idealizadora do projeto, e Alessandra Biasus, que ministra a disciplina de Direito Empresarial.

        Para o Coordenador do Curso, Professor José Plínio Rigotti, “a participação dos acadêmicos em atividades que aliam o ensino teórico a vivências práticas é de suma importância, eis que o papel da educação ambiental é, justamente, despertar os futuros profissionais, formados pelo Curso de Direito, para as questões socioambientais e mostrar que é possível ter desenvolvimento aliado as práticas de conservação ambiental, respeitando o meio ambiente e a legislação ambiental”.

        Para os acadêmicos, a visitação foi uma experiência incomparável, encantadora e uma oportunidade de reflexão quanto à necessidade da implementação da proteção ambiental em qualquer projeto socioeconômico a ser desenvolvido. Referem terem visto que é possível respeitar o meio ambiente, realizar práticas de conservação ambiental e alcançar desenvolvimento econômico sustentável. Ainda, relatam ser um momento de integração entre si e verificam a aplicação prática da teoria aprendida em sala de aula.

        Para a idealizadora do projeto, professora Vera Detoni, “a busca pela excelência perpassa pelos conhecimentos teóricos e pelas vivências práticas”. Salienta, ainda, “que a forma como tutelamos o meio ambiente demonstra a nossa maneira de ver o mundo”. A viagem alcançou seu objetivo, no dizer da professora, “eis que não podemos mais enxergar o meio ambiente como um objeto separado dos seres humanos, que apenas existe para que estes sirvam-se dele, mas sim, como algo imprescindível para a sobrevivência dos seres humanos e que precisa ser respeitado e preservado por todos”. Ressalta, por fim, a professora que, “sem dúvida alguma, todos os envolvidos neste projeto ganham com a experiência vivenciada”.

Comentários estão fechados.