A Arca de Noé, um clássico infantil de Vinicius de Moraes, será uma das atrações para o público infantil

Montagem do premiado diretor Zé Adão Barbosa será um dos espetáculos do dia 12

A segunda-feira, dia 12, na Cidade das Cultura da Frinape 2018, inicia com um espetáculo para o público de todas as idades: A Arca de Noé, em dois horários: às 13h45min, no Auditório Pólo de Cultura – Palco Erechim, e, às 15h, na Casa Polonesa Mini Auditório – Estação Bota Amarela.

A Cidade da Cultura é uma promoção da ACCIE, que teve seu projeto aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet, sendo uma realização do Ministério da Cultura do Governo Federal, com patrocínio das seguintes empresas: Brastelha, Cassul, Cavaletti S/A, Cercena, Dimaster, Futura Agrícola, Master, Vaccaro Agronegócio, Indra, Ke Soja, Mecânica Camillo, Peccin S/A, Plaxmetal, RGE, Roos, Santa Clara, Sementes Estrela, Soccol Barbieri, Transvidal e Triel HT. A entrada é gratuita em todos os dias do evento.

O ESPETÁCULO

Mais conhecidos pelo disco feito para crianças (e transformado em musical pela Rede Globo), os poemas da “Arca de Noé” foram escritos por Vinicius de Moraes e são apresentados, aqui, em uma montagem deste musical, dirigido por Zé Adão Barbosa.

Na história, uma trupe de artistas circenses cantam o que aconteceu com os bichos depois que as águas do grande dilúvio baixaram e a arca de Noé desceu à terra. Durante o espetáculo, os atores interpretam as canções mais conhecidas das últimas gerações de crianças brasileiras, apresentando o macaco que diz que é arquiteto e constrói uma casa muito engraçada; as abelhas que fazem mel para alimentar a família de Noé e os companheiros; as girafas que limpam as nuvens; o leão, que cria novas regras; o urso velho, que canta para a criançada; a corujinha, que acorda a turma pela manhã e o pato, bem… o pato é uma história à parte.

Nesta montagem, o diretor se debruça sobre uma nova leitura desta obra-prima, através da direção musical de Everton Rodrigues, que cria novos arranjos para canções antológicas como “A Casa”, “O Pato”, “As Abelhas”, “São Francisco”, entre muitas outras.

Comentários estão fechados.