Patrono dos Festejos Farroupilhas, Armelindo Rosset, criou candeeiros para transporte da Chama Crioula

Hoje eles que circulam nas entidades tradicionalistas

Armelindo Rosset nasceu em 13 de maio de 1950. Filho de Maria e Vasselino Rosset, passou sua infância no interior de Erechim, no Povoado Coan. Aos 21 anos resolveu mudar-se para Erechim para trabalhar de mecânico. Em 1986, montou sua própria empresa com o nome de Mecânica Telefor. Em 1972, casou com Zélide Cerioli (in memoriam) com quem teve três filhos: Lauro, Fabrício e Pedro. Hoje vive com Geni Lucia Gueuda. Desta união nasceu Bruno Gildo Rosset.

Começou sua vida tradicionalista no CTG Sentinela da Querência, ainda em construção. Em 1986, ingressou no CTG Galpão Campeiro, onde foi coordenador da invernada adulta. Por quatro anos Capataz, Patrão por uma gestão, hoje é membro do Conselho e atividades gerais.

Na Cristandade, cursilhista desde 1989, participou seis anos do Conselho Econômico da Catedral São José. Líder da Família Rosset, coordenou por sete anos o encontro da Família Rosset. A convite do então coordenador Zulmir Sotoriva ingressou como membro do Conselho de Ética da 19ª Região Tradicionalista e também encarregado da gastronomia nos eventos.

Zulmir Sotoriva responsabilizou Rosset que criasse candeeiros para transporte da Chama Crioula. Rosset montou vários modelos de candeeiros, os quais circulam nas entidades Tradicionalistas. Coordenador atuante da Chama Itinerante desde 2012.

Em 2013, recebeu a Comenda João de Barro, título concedido pelo MTG a pessoas que prestam serviços relevantes ao tradicionalismo. Atualmente exerce o cargo de Vice-coordenador da 19ª Região Tradicionalista na gestão 2017/2018.

Comentários estão fechados.