“Meu Deus, já está faltando oxigênio de tubo”, desabafa empresário erechinense

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Um empresário de Erechim que é distribuidor de oxigênio para os hospitais da região norte do Estado, entrou em contato comigo no início da noite de terça-feira (9) e fez um desabafo. “Estou apavorado com o que pode acontecer daqui para frente com aumento dos casos de covid. O diretor da empresa no qual realizo a distribuição de oxigênio para os hospitais da região, disse em áudio que a produção está 20% de sua capacidade e já não tem mais como atender a demanda”, relatou.

Ele comentou que tem 10 mil cilindros vazios para atender a região e na tarde de segunda-feira, conseguiu abastecer menos de 100 cilindros. “Tem produto, quem trabalha com oxigênio a granel. Os dois hospitais da cidade estão abastecidos, pois tem um bom reservatório. Mas, não adiantará abrir mais leitos se faltará oxigênio. Os políticos a nível estadual e federal, não tem dimensão do problema que poderemos enfrentar a partir desta semana. Poderá ser parecido com Manaus”, desabafou.

Imediatamente conversei com Rafael Ayub, diretor da Fundação Hospitalar Santa Terezinha. “Realmente já está faltando oxigênio de tubo, mas até o momento, temos um reservatório grande de oxigênio a granel. Não sei como será no próximo abastecimento, se vamos sofrer algum corte. Estamos tendo muita dificuldade para deslocar pacientes para fazer exames mais complexos, por falta de oxigênio em tubos. Também já estamos sentindo a diminuição de alguns medicamentos para fazer intubação”, finalizou o diretor.

Por Egidio Lazzarotto

Get real time updates directly on you device, subscribe now.