Pe. Elli Benincá sepultado em Severiano de Almeida

Falecido no início da noite de sexta-feira, 07, no CTI do Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, Pe. Elli Benincá foi velado no Memorial da Paz e na Igreja N. Sra. da Conceição daquela cidade. Naquela igreja, às 10h30 deste sábado, houve missa de corpo presente presidida pelo Arcebispo, Dom Rodolfo Webber, e concelebrada por muitos padres. Em seguida, o corpo do Pe. Elli foi transladado para a igreja São Caetano, de Severiano de Almeida, sua terra natal, onde também foi velado e onde houve outra missa de corpo presente, às 16h, seguindo-se o sepultamento.

A missa foi presidida pelo Administrador Diocesano de Erexim, Pe. Antonio Valentini Neto, e concelebrada pelo Pároco local, Pe. João Dirceu Nardino, por representante do Presbitério de Passo Fundo, Pe. Eberson Fontana, da Pastoral Presbiteral e Reitor do Seminário N. Sra. Aparecida daquela Arquidiocese e por outros 5 cinco padres da Diocese de Erexim, com a participação do diácono da sede paroquial, ministros e ministras, familiares e amigos do Pe. Elli.

No início da celebração, dois sobrinhos, Marcelo Araújo e Daniela De David Araújo, apresentaram dados biográficos dele. Na homilia, o Administrador Diocesano ressaltou que assim como esteve na frente de inúmeras assembleias litúrgicas presidindo a Eucaristia; como esteve diante de incontáveis turmas de estudantes na UPF, no Itepa e em outras instituições educativas; assim como esteve assessorando muitos encontros de lideranças, Pe. Elli, em seu corpo inerte, permanecia diante de todos com seu olhar profundo, sua perspicácia pedagógica, sua sabedoria magistral e cativante, sua lucidez desbravadora, desafiando a descobrir novos caminhos de Ação Evangelizadora, de presença evangélica transformadora na sociedade, de confiança no ser humano, de otimismo e esperança em relação ao futuro. Como professor exímio, que professou princípios e valores permanentes por mais de 4 décadas, imitou o Cristo Mestre, formando para a comunhão fraterna, para o progresso humano integral, para o desapego e o despojamento, para o serviço generoso. Imitou-o pelo que sabia transmitir de forma clarividente e com testemunho convincente. Enfatizou o zelo, o espírito de serviço, a sensibilidade humana e social do Pe. Elli. Leu mensagem de Dom Demétrio Valentini, Bispo emérito de Jales, SP, que testemunha: Fomos colegas de curso nos tempos do Seminário de Erexim. Rapaz tímido, respeitoso, competente e dedicado, tinha o respeito de todos. Será lembrado como padre exemplar, professor exímio, amigo leal e abnegado batalhador das causas humanas. Será sempre lembrado com respeito e saudade. Solicitou ao Pe. Milton Mattia, Pároco em Três Arroios, conterrâneo e colega de estudos do Pe. Elli, para dar seu depoimento. Expressou apreço e gratidão por tudo o que com ele viveu e aprendeu, especialmente por sua simplicidade e consideração pelos colegas. O Administrador concluiu ressaltando o que Lurdes, irmã que o acolheu nos últimos anos, lhe testemunhou: mesmo enfermo, precisando de cuidados, perguntava se todos estavam bem, em que ele poderia ajudar. Precisando de cuidados, desejava continuar a dedicar-se aos outros.

No final da celebração, Ildo Benincá e seu irmão mais novo, Ereni Bernardo, manifestaram agradecimentos da família a diversas pessoas e instituições que acompanharam o Pe, Elli, especialmente na sua enfermidade. Emocionado, Ildo agradeceu particularmente à sua irmã Lurdes e cunhado Hilário De David por acolher e cuidar do Pe. Elli nos últimos seis anos. Pe. Jair Carlesso, pelos padres da Diocese de Erexim e pelo Itepa, expressou o reconhecimento pela dedicação e doação do Pe. Elli na formação seminarística. Enalteceu seu elevado conhecimento, sua pedagogia participativa, sua consciência crítica, competência no magistério e outros aspectos. (Fotos, Marcelo Araújo e Mateus Benincá)

————————–.

Dados biográficos apresentados na missa de corpo presente

Pe. Elli Benincá nasceu em Severiano de Almeida, em 20 de julho de 1936, no Dia do Amigo. Era filho de Amadeu Benincá e de Leonice Maria Bonafin Benincá, já falecidos, sendo o terceiro de uma família de 11 irmãos: Orlando e Nilo (já falecido), Irma, João, Adir, Lurdes, Alcides, Ildo, Alpidio e Ereni.

Sua infância e juventude foram marcadas pelo convívio familiar, pelo trabalho na roça e pela vida comunitária na linha Caracol. Em 1953, aos 17 anos, sentiu-se chamado à vocação e ingressou no Seminário Nossa Senhora de Fátima de Erechim, sendo aluno da primeira turma. Concluído o curso, permaneceu nele como professor por um ano, em 1958. Em 1959, ingressou no Seminário Maior N. Sra. Imaculada Conceição de Viamão, onde cursou filosofia e teologia.

Elli foi ordenado presbítero no dia 03 de julho de 1965, em Severiano de Almeida, por Dom Cláudio Colling, então bispo da Diocese de Passo Fundo, à qual pertencia toda a região da atual Diocese de Erexim.

Em 1966, foi enviado à cidade de Passo Fundo para auxiliar o Padre Alcides Guareschi na antiga Faculdade de Filosofia do Consórcio Universitário Católico, que, mais tarde, seria um dos pilares da Universidade de Passo Fundo. Residiu por 17 anos na Paróquia da Catedral, onde foi vigário paroquial. Depois foi vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Conceição por mais de 20 anos, ajudando também a comunidade Nossa Senhora de Navegantes.

Em 1982 e 1983, foi Coordenador de Pastoral na Diocese de Passo Fundo.

Por acreditar que o maior investimento que se possa fazer é aquele direcionado ao ser humano, sempre se dedicou à formação de lideranças leigas, agentes de pastoral, professores de ensino religioso, ressaltando a importância da educação para todos. Exerceu o papel de formador dos estudantes de Teologia de 1983 até 2014 e foi articulador de inúmeras iniciativas de formação continuada nos âmbitos pastoral e acadêmico, incentivando muitas pessoas à realização de cursos e à participação em eventos, inclusive com apoio financeiro direto. Integrou o grupo de fundadores do Instituto de Teologia e Pastoral (ITEPA), sendo seu primeiro Diretor. Lá, foi professor, por muitos anos, voluntariamente. Dedicou-se a ele até o último dia em que se sentiu em condições e com saúde para exercer a docência.

Disciplinado e inteligente, tinha grande habilidade lógico-argumentativa, evidenciada, de forma intensa, pela capacidade de síntese e registro de ideias.  Dedicou-se aos estudos de forma singular. Realizou sete cursos de especialização lato sensu ao longo de três décadas. Nos anos 80, desafiou-se ao Mestrado em Ciências da  Religião na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, tornando-se Mestre em 1987. Em 2002, também concluiu o doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.  Possuia uma biblioteca pessoal com milhares de exemplares, especialmente nas áreas da Filosofia, Educação, Teologia, Ensino Religioso e Literatura brasileira e internacional. Fazia questão de compartilhar sua biblioteca com os outros, sempre incentivando a leitura e formação continuada.  Há alguns anos, doou as obras ao Seminário Arquidiocesano e ao Itepa.

Na Universidade de Passo Fundo, atuou como docente por 40 anos, participando ativamente da formação de milhares de acadêmicos. Foi também Diretor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas e da Faculdade de Educação, de 1974 a 1985.

Como pesquisador da Universidade, dedicou-se ao estudo de temáticas no campo da Educação, do Ensino Religioso, da Cultura e Religiosidade Popular e da Formação Docente, com trabalho metódico, sistematicamente registrado pelas memórias de aula e das reuniões com participação ativa dos envolvidos. Publicou textos e obras na área da Educação e da Filosofia. Aposentou-se na UPF aos 69 anos, mas nunca se distanciou de sua missão para e com a educação

Mesmo distante de Severiano de Almeida, alimentou o vínculo com sua terra natal, sendo presença em suas datas importantes e nas comemorações familiares.

  Em novembro de 2014, em razão das complicações da doença de Parkinson, diagnosticada ainda em 2006, quando tinha 70 anos, passou a residir na casa de sua irmã Lurdes e do cunhado Hilário de David, também com assistência do irmão Ereni e da cunhada Neli, onde recebeu, atenção e carinho. No longo período de enfermidade, conviveu com crianças, amigos e cuidadores, em um ambiente afetuoso e feliz.

Caracterizou-se como educador e pensador nos diferentes espaços nos quais atuou. De forma ativa e comprometida, marcou profundamente sua família, a Arquidiocese de Passo Fundo, a Universidade de Passo Fundo, e, especialmente, os milhares de alunos e profissionais da educação desta cidade e da região que foram, ao longo de décadas, incentivados a registrar e a refletir sobre sua ação pedagógica, entendendo-a como ato educativo transformador, a ser constantemente qualificado pelo diálogo. (Fotos, Marcelo Araújo e Mateus Benincá)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais